Um cliente de uma unidade das lojas Americanas Express em Belo Horizonte foi esfaqueado na noite da última sexta-feira (18) ao se recusar a vestir a máscara de proteção contra o novo coronavírus.

O cliente Aldair Oliveira de Souza, de 24 anos, foi atingido por oito facadas na região do abdômen, braços e costas. No momento ele se encontra internado no Hospital João XXIII.

Segurança

De acordo com o segurança Matheus Rodolfo Luis da Silva, de 26 anos, ele teria conversado com Aldair e explicado que a entrada no estabelecimento só era permitida com o uso de máscara de proteção devido à pandemia. Em resposta o cliente sugeriu ao segurança que conhecia a "quebrada toda" e iniciou as agressões contra ele.

Ainda de acordo com Matheus, o cliente tentou atirar uma garrafa de álcool contra ele e lhe deu um chute. A confusão acabou gerando uma briga e ele usou uma faca para deferir os golpes. A faca utilizada fazia parte dos instrumentos de trabalho do segurança, que a usava para cortar caixas de papelão.

Polícia

Quando a polícia chegou ao local para atender a ocorrência, encontrou o cliente deitado dentro das Americanas e sangrando. De acordo com as informações, Aldair teria ido ao estabelecimento no intuito de comprar água oxigenada. A polícia Civil receberá uma cópia das imagens realizadas pelas câmeras de segurança da loja.

Matheus também se feriu e foi encaminhado para atendimento hospitalar, no entanto seus ferimentos foram considerados leves.

Americanas

As lojas Americanas lamentaram profundamente o ocorrido e comentaram o caso através de uma nota.

Em nota, a empresa lamentou o fato e afirmou que repudiam qualquer tipo de violência. Sobre o cliente, a empresa informou que realizou uma averiguação interna, onde foi constatado que Aldair já tem um histórico difícil com a loja, o cliente já foi acusado de furto e ameaças.

A empresa confirma a versão de Matheus e afirma que o homem entrou no estabelecimento sem a máscara de proteção, e assim que lhe foi chamada atenção, ele reagiu mal e partiu para agressão chutando o segurança. Matheus reagiu e uma briga na parte externa da loja teve início.

Ainda de acordo com as lojas Americanas, os associados recebem treinamentos e orientações para que condutas do tipo agressiva não sejam utilizadas nos estabelecimentos.

A loja pede que a conduta seja evitava sob qualquer tipo de circunstância, mesmo que se trate de uma reação à agressão anterior. As orientações nesse tipo de caso é que a polícia seja acionada imediatamente.

Investigações

As lojas Americanas afirmaram que estão acompanhando as investigações policiais de perto, e que todas as medidas cabíveis serão tomadas pela empresa.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!