O Plano de Segurança Sanitária para as eleições municipais deste ano de 2020, protegendo a saúde de mesários e eleitores contra a Covid-19, foi divulgado nesta terça-feira (8) pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso.

A divulgação do plano foi na forma de coletiva de imprensa, ocorrida às 17h, no auditório do TSE. O conjunto de medidas sanitárias, que envolve a sociedade brasileira com seus eleitores, foi organizado gratuitamente pela consultoria sanitária formada por especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fio cruz) e dos hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein.

As medidas sanitárias serão veiculadas a partir de outubro, em rádios e canais de TVs, na campanha de mote: “Vote com Segurança”.

Primeiro turno será em novembro

As Eleições municipais deste ano estão previstas em primeiro turno para o dia 15 de novembro e segundo turno no dia 29 também de novembro, nas cidades que eventualmente ainda não tiverem definidos seus candidatos para assumirem o governo da cidade.

Pelo site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o presidente do principal órgão eleitoral apresentou na coletiva um balanço sore o país no que tangem eleições. "Brasil conta atualmente com cerca de 147 milhões de eleitores; 95 mil locais de votação e aproximadamente, 401 mil seções eleitorais", revela Barroso.

Regras são obrigatórias

Nesta perspectiva, "as regras deste Plano de Segurança Sanitária, são obrigatórias, e devem ser adotadas pelos eleitores sob risco de quem não se submeter ficar impedido de votar", salienta o ministro. As medidas preveem ainda que se o eleitor não usar máscara no dia do pleito eleitoral, não poderá acessar o local de votação.

As medidas sanitárias orientam também que a população votante deverá levar sua própria caneta para assinar o caderno de identificação eleitoral. Contudo, o eleitor que não portar sua caneta terá o dispositivo previamente higienizado na sala correspondente à sua zona eleitoral.

Mesário lerá alto o nome

No local de votação, o povo votante deverá respeitar o distanciamento de pelo menos um metro entre uma pessoa e outra com marcação no chão. Também neste sentido o votante mostrará o documento de identificação com foto ao mesário que irá ler seu nome em alta voz sem ter que manuseá-lo.

As mãos do eleitor deverão ser higienizadas com álcool em gel no momento de assinar o caderno de comparecimento à seção eleitoral. É também medida de segurança no plano de ação, o eleitorado higienizar as mãos com o mesmo produto depois de atribuir votos na urna eleitoral.

Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!