A deputada federal Flordelis (PSDB-RJ) compareceu à Secretaria de Administração Penitenciária, a Seap-RJ, localizada em São Gonçalo, nesta quinta-feira (8), para colocar a tornozeleira eletrônica. A parlamentar chegou ao local por volta das 15h.

A política tinha até às 17h para se apresentar e colocar o objeto. Flordelis não ficou por muito tempo no local, deixando o mesmo em torno de 10 minutos após sua chegada. A parlamentar foi intimada para colocação do dispositivo eletrônico na noite da última terça-feira (6). Flordelis recebeu o documento em sua casa, localizada na Região Oceânica de Niterói.

Acusada de mandar matar o próprio marido

Atualmente, a deputada Flordelis enfrenta um processo judicial no qual é apontada como mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, que foi morto com disparos de arma de fogo em junho do ano passado. A parlamentar nega todas as acusações feitas contra ela. Sete filhos e ainda uma neta da política também respondem por supostas participações no crime.

Imunidade parlamentar

Após ter sido indiciada como mandante da morte do pastor, Flordelis poderia ter sido presa, o que só não aconteceu por causa da imunidade parlamentar. Mesmo assim, atualmente segue em andamento na Justiça uma ação por quebra de decoro, o que pode acabar resultando na perda do mandato de Flordelis.

De acordo com informações de um relatório divulgado pela Corregedoria da Câmara dos Deputados, a pastora não conseguiu provar que não quebrou o decoro parlamentar. Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, já está com o processo que pede a cassação do mandato de Flordelis em mãos.

Juíza cancela carteira de visitante de Flordelis

A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, ordenou que tanto o Detran quanto a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro cancelem a carteira de visitante que havia sido concedida à parlamentar Flordelis. O documento foi cedido à parlamentar antes de a mesma ser indiciada como mandante do assassinato do marido, e o objetivo era de visitar o filho Flávio dos Santos Rodrigues, detido acusado de atirar contra o padrasto.

Proibida de ter contato com os demais acusados

Após ter sido denunciada pelo Ministério Público, Flordelis foi proibida de ter qualquer tipo de contato com os demais envolvidos no caso isso, inclusive, nas unidades penitenciarias em que eles se encontram atualmente. Mesmo assim, de acordo com informações de Nearis, houve uma possível burla a esta determinação. Segundo a juíza, a parlamentar estaria tentando manter contato com os filhos presos através de Paula Neves Magalhães de Barros, que trabalha atualmente no gabinete da deputada federal.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!