Agentes da Polícia Civil prenderam na noite desta terça-feira (19) um homem suspeito de abusar sexualmente de uma menina de apenas 5 anos de idade em uma boca de fumo, no bairro Vila João Vaz, no estado de Goiás. De acordo com as autoridades que participaram da ocorrência, uma mulher que seria sua amiga também foi detida por ter levado a vítima até o local do crime.

Segundo a delegada Carolina Barreto, responsável pela investigação, a mãe da criança e a suspeita seriam amigas, e ela teria deixado a menina passear com a mulher, mas percebeu que elas estavam demorando muito e resolveu procurá-las.

Momentos depois, a mãe encontrou as duas em uma boca de fumo da região.

Ainda de acordo com a delegada, ao avistar sua filha na boca de fumo percebeu que o homem estaria com as mãos no short da filha e gritou. Por sua vez, o homem rapidamente levantou a roupa da garota.

Após toda a situação, a mãe da criança chamou rapidamente a Polícia Militar, que veio prestar auxílio. Ao chegarem no local, as autoridades prenderam o homem e a amiga da mãe, que foram encaminhados para a Delegacia Especializada no Atendimento a Mulher (DEAM), onde foram interrogados e negaram todos os fatos relacionados.

“Em depoimento aqui no Departamento de Polícia os dois negaram que teriam feito algum mal à menina. A amiga da mãe relatou que a criança não teria saído de seus cuidados. Já o rapaz, disse que não teria tocado nas partes íntimas da criança de forma libidinosa”, explica a delegada titular do caso, Carolina Barreto, da DEAM.

Nesta segunda-feira (20), o caso foi devidamente encaminhado para a Delegacia de proteção á Criança e ao Adolescente (DPCA), e segundo a delegada, a próxima etapa das investigações seria tentar encontrar testemunhas para o desfecho da ocorrência.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

“Ao apresentar as suas versões dos fatos na delegacia, o homem nos disse que uma testemunha teria ficado ao seu lado o tempo todo e que viu que ele não teria causado nenhum mal a criança. Com base nesse depoimento tomado iremos procurar por essa pessoa para que ela nos ajude com os devidos esclarecimentos”, conta Barreto.

Pena de 8 a 15 anos de prisão pelo crime

Tanto o homem quanto a mulher serão indiciados por estupro de vulnerável, pois a suspeita teria levado a criança até o local do suposto crime, e por sua vez, facilitando o fato.

Se forem condenados pela justiça, os dois poderão apanhar uma pena de 8 a 15 anos de prisão.

Na tarde desta segunda-feira o casal teria participado de uma audiência de custódia, na qual o juiz responsável pelo processo Alexandre Bizotto, teria determinado que os suspeitos continuassem presos até o final das investigações.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo