Um dos problemas mais desagradáveis que acontecem com frequência em dias mais quentes é o odor forte que pode vir daqueles que transpiram em excesso. Nem sempre o cheiro pode ser sentido por outra pessoa, mas, quando isso acontece, quem está com o famoso ‘cecê’ fica com muita vergonha. A situação é indesejada por qualquer um e pode até acarretar problemas sociais, fazendo com que as pessoas com ‘cecê’ se afastem do convívio com outras, temendo sofrer algum tipo de preconceito por causa de seu cheiro.

Mau cheiro pode ser resultado de uma doença causada por bactérias da pele

Embora a maioria dos ‘cecês’ sejam causados pela transpiração em excesso, que acontece com mais frequência em épocas quentes do ano, o mau cheiro característico da axila pode se originar de outro tipo de problema, fazendo com que pessoas que sofram com isso precisem de ajuda médica especializada.

Alguns até chegam a retirar o nervo simpático principal da axila devido ao suor excessivo (hiperidrose), mas, antes disso, recorrem a perfumes e desodorantes, esperando que o cheiro forte passe depois de um banho. Quando esse cheiro é persistente, saiba que pode ser indicativo de um problema de saúde [VIDEO].

Conheça a doença do ‘cecê’

Conhecida como bromidrose axilar, essa doença tem como único sintoma o mau cheiro, que pode ser tratado caso seja realmente constatada. Essa enfermidade tem como causa a interação do suor com bactérias e fungos presentes na pele do ser humano, provocando, assim, a formação de ácidos graxos voláteis que tem como resultado justamente o cheiro nada agradável que algumas pessoas possuem nas axilas.

Saiba como cuidar do mau cheiro nas axilas de uma vez por todas

Pessoas que sofrem com estresse e com distúrbios hormonais tendem a apresentar esse tipo de doença.

Além disso, a ingestão excessiva de alimentos como pimentas, alho e cebola pode provocar o aparecimento dessa enfermidade [VIDEO] que já assombrou milhares de pessoas.

Embora seja pouco comum, algumas pessoas podem, ainda, apresentar bromidrose axilar graças a fatores genéticos e metabólicos. Outro fator que pode ser causador desse tipo de doença é o excesso de transpiração, a hiperidrose, conforme já mencionado. Nesse caso, o tratamento pode ser medicamentoso ou com botox. Em casos mais extremos, recorre-se à cirurgia. Caso a hiperidrose não seja a causa do mau cheiro, recomenda-se o uso de desodorantes e cremes antibacterianos e antifúngicos. É importante cuidar da higiene pessoal e lavar as axilas com bucha, assim como manter as roupas limpas.