Já com três mortes registradas, os casos de suspeita de sarampo passam a receber atenção especial em todo o país,

A doença, que não era registrada desde 2011 no Rio Grande do Sul, volta a chamar atenção das autoridades. Uma nova campanha de vacinação [VIDEO]contra o sarampo deve começar em agosto ainda desse ano.

Em um vídeo publicado nas redes sociais uma promotora de justiça [VIDEO]solicitou que todos os casos em que os pais não vacinaram os filhos fossem denunciados e ainda alertou que eles poderiam ser responsabilizados com multa administrativa e até mesmo, em casos mais graves, com a perda da guarda dos filhos. De acordo com a OAB, a vacinação é um direito de Saúde da criança protegido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Reuniões com o secretário da saúde do estado já aconteceram para que fosse definida uma nova estratégia para a próxima campanha de vacinação, o objetivo é que com a mobilização da sociedade mais pessoas sejam alcançadas, já que as últimas campanhas não atingiram o mínimo ideal, definido pelo Ministério da Saúde que é de 95%.

De acordo com o diretor da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, as crianças que não possuem idade mínima para administração da vacina se tornam menos propícias ao vacinarem os adultos que têm maior contato, devido à doença ser transmissível tanto de forma direta como no contato com as secreções de uma pessoa contaminada, como também de forma indireta, pelo ar, não sendo necessário ter contato direto com o doente. Por esse motivo, a vacina se torna importante não só pela saúde individual, mas também pela saúde coletiva de todas as pessoas com quem se convive.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença é bastante simples devido as suas características serem bastante específicas, especialmente as manchas brancas na mucosa da parte interna da boca, chamadas de manchas de Koplik.

Outros sintomas incluem coriza, conjuntivite, dor de garganta, mal-estar geral e também infecção no nariz.

Tratamento

Grande parte das mortes causadas pelo vírus do sarampo estão relacionadas às complicações associadas a ela.

Os pacientes devem descansar, ingerir bastante líquido, ter uma alimentação saudável e tomar antitérmicos em caso de febre alta e para evitar cicatrizes e feridas não se deve coçar as manchas.

Em crianças menores de dois anos de idades, o consumo de vitamina A diminui as complicações relacionadas à visão.

A ingestão de soro fisiológico também ajuda a prevenir a desidratação causada pelos vômitos e diarreia.