O uso da barba e do bigode voltou com força total há alguns anos e vários homens descolados fazem o estilo "urso" ou lenhadores. A notícia ruim é que cientistas dizem que os homens com pelos no rosto carregam mais bactérias do que os cães em suas peles.

De acordo com os cientistas que fizeram o estudo, as amostras de barba de homens de raças e idades diferentes continham uma quantidade muito grande de bactérias e quase metade delas tinham resquícios de insetos que são perigosos para a saúde humana.

Publicidade
Publicidade

Enquanto isso, os cães que foram usados neste mesmo estudo apresentaram uma quantidade muito inferior de bactérias e micróbios.

O intuito do estudo era descobrir se haveria algum tipo de risco de um ser humano pegar uma doença transmitida por um cachorro. Um aparelho de ressonância magnética foi usado pelos pesquisadores e, com a ajuda de um cotonete, foram retiradas amostras de barba de 18 homens e do pescoço de 30 cães de raças e tamanhos diferentes.

O professor Andreas Gutzeit, da Hirslanden Clinic, na Suíça, disse em entrevista ao jornal inglês Daily Mail: "os pesquisadores descobriram mais quantidade de bactérias e micróbios nas amostras retiradas das barbas dos homens em comparação com as retiradas dos pelos dos cachorros".

O estudo descobriu que todos os homens que participaram da pesquisa e que têm idades entre 18 e 76 anos apresentaram altas taxas de bactérias e micróbios, mas apenas 7 dos 30 cães tiveram contagens altas.

Publicidade

Os outros 23 apresentaram níveis moderados, sendo que, em 7 dos 18 homens, foram encontrados micróbios que representam riscos à saúde humana.

Depois dos exames de ressonância magnética dos cães, os scanners foram desinfetados e mostraram uma contagem de bactérias significativamente menor em comparação com os níveis observados quando usados ​​por seres humanos.

"De acordo com essas descobertas, podemos dizer que os cães podem ser considerados mais limpos se forem comparados aos homens barbudos", disse Gutzeit.

Resultado da pesquisa não agrada os barbudos

O resultado do estudo deixou vários homens descontentes, pois afirmaram que os resultados provinham de estudos que querem discriminar os homens que usam barba.

Também em entrevista ao Daily Mail, Keith Flett, fundador da Beard Liberation Front, disse acreditar que o resultado da pesquisa não tem muita lógica e coloca em dúvida o relatório dos estudos.

"Acho que é possível encontrar todos os tipos de bactérias ou micróbios se você passar um cotonete no cabelo ou nas mãos das pessoas e depois fazer um teste de ressonância.

Publicidade

Não acredito que barbas sejam anti-higiênicas", disse Keith Flett. "Parece haver um grande número de histórias negativas sobre barbas que sugerem ser mais pogonofobia do que qualquer outra coisa", concluiu.

Pogonofobia é o medo irracional, persistente e, muitas vezes, injustificado de barbas.

Leia tudo