Foram confirmadas duas mortes em Santos, litoral de São Paulo, por criptococose, mais conhecida como a "doença do pombo''. As vítimas foram dois homens, José Wilton de Souza, empresário, 56 anos, e o cinegrafista Mauro Sérgio Senhorães, de 43 anos.

Os homens estavam em tratamento da Criptococose (doença do pombo) há pelo menos quatro meses. Os sintomas em ambas as vítimas foram os mesmos: tontura, cansaço, dores de cabeça e febre.

Os médicos demoraram a diagnosticar a "doença do pombo" por conta dos sintomas que são bastante comuns em outras enfermidades. O diagnóstico correto só veio depois de uma piora significativa em ambos os pacientes.

Confirmação de diagnóstico da 'doença do pombo'

José Wilton sofreu um acidente vascular cerebral e foi internado na Santa Casa de Santos no dia 6 de julho. O empresário faleceu depois de passar 12 dias em coma.

Já o cinegrafista Sérgio Senhorães morreu no Hospital Beneficência Portuguesa, no dia 26 de julho.

Segundo a Secretaria de Saúde, não havia conhecimento sobre os casos de criptococose até o falecimento das duas vítimas, pois a "doença do pombo" não faz parte da lista de doenças que devem ser informadas obrigatoriamente pelos hospitais.

A Secretaria de Saúde ainda afirma que a criptococose não é passada de um homem para outro ou de um animal para o ser humano.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Saúde

A Prefeitura de Santos garante que há um trabalho na prevenção da 'Doença do Pombo', com a limpeza das fezes do animal em locais públicos e instrução da população.

A criptococose é passada pelas fezes do animal

A contaminação se dá através da inalação das fezes secas e contaminadas do pombo. Os fungos ali presentes se alojam no pulmão e se espalham até o sistema nervoso central da vítima.

Para o Ministério da Saúde, a "doença do pombo" é um problema importante da saúde pública por conta da sua letalidade e desenvolvimento de formas clinicas graves.

O tratamento da doença é feito com antifúngicos e internação. O tratamento é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os sintomas são: fraqueza, dor de cabeça ou no peito, febre, rigidez na nuca, náusea e vômito, sudorese noturna e tontura. Também pode haver comprometimento ósseo, ocular e pulmonar.

A prevenção da doença é muito simples, basta a manutenção da limpeza com cloro em locais onde há pombos.

A secretaria Municipal pede para a população não alimente as aves para que a população de pombos se mantenha controlada, já que as aves podem se reproduzir ate quatro vezes por ano.

Em locais com fartura de alimento para as aves a reprodução é exagerada, quando há escassez a reprodução se mantém controlada. Por isso a importância da coleta diária do lixo nas grandes cidades.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo