O coronavírus já matou mais de 100 pessoas na Ásia e já existem mais de 7 mil infectados pela doença, agora, o Ministério da Defesa e das Relações Exteriores, emitiu uma nota informando que o governo irá resgatar todos brasileiros que quiserem sair de Wuhan, na China, centro da epidemia de coronavírus.

Na nota, eles afirmam que as medidas de quarentena serão baseadas nas usadas em outros países. Os brasileiros irão entrar em quarentena assim que chegarem ao país e serão monitorados. A aeronave que vai resgatar os brasileiros será da Força Aérea e um plano de voo já está sendo elaborado.

Segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, não existe um voo direto entre Brasil e China, por conta da distância entre os países e normalmente é feita uma escala na Europa. Mas, essa parada obrigatória pode ser um impedimento para o resgate dos brasileiros presos na capital tomada pelo coronavírus.

O ministro das Relações Exteriores contou que não existe uma data para o resgate dos brasileiros em Wuhan, na China e que várias variáveis estão sendo negociadas.

Ernesto Araújo ainda contou que o governo sabe da apreensão dos brasileiros presos em Wuhan, que é o centro da pandemia, e dos familiares que estão aqui no Brasil, por isso estão tentando resolver tudo de maneira rápida, pois eles têm que negociar com o governo da China, resolver onde o voo fará escala na volta e ainda montar o esquema de quarentena aqui no Brasil para abrigar a todos os resgatados.

Coronavírus preocupa brasileiros que pedem ajuda

Na manhã de domingo (02), brasileiros que moram em Wuhan, na China, decidiram apelar ao presidente Jair Bolsonaro e pedir ajuda para sair do país. Na gravação, eles leem uma carta onde pedem que o governo brasileiro os retire do centro da pandemia do coronavírus. Eles ainda dizem que estão dispostos a ficar em quarentena aqui no Brasil até se descartar o risco de estarem contaminados.

Antes do vídeo, na sexta-feira (31), Bolsonaro disse que não tinha um plano para resgatar os brasileiros e que isso iria custar caro aos cofres públicos. Além disso, segundo o presidente, o Brasil não tem uma lei de quarentena. O presidente ainda descartou a criação de uma medida provisória para acelerar o processo.

Coronavírus continua matando pessoas

Até o momento, o coronavírus já matou cerca de 304 pessoas e pelo menos 14.380 já estão infectadas, isso só na China.

Já no Brasil, já tem 16 casos suspeitos da doença sob investigação, até o momento nenhum foi confirmado.

A OMS já declarou que o coronavírus é um caso de emergência a saúde pública internacional, já existem casos suspeitos em mais de vinte países. Agora os governos pelo mundo estão traçando uma estratégia para o combate da pandemia.

Coronavírus mata primeira pessoa fora da China

A primeira morte por coronavírus fora da China aconteceu nas Filipinas, um chinês de 44 anos que veio de Wuhan, na China, que é o centro da pandemia, faleceu no país, ele foi infectado ainda na China.

O homem não viajou sozinho, segundo informações ele estava acompanhado de uma mulher de 28 anos, que também está infectada.

O chinês morreu depois de adquirir uma pneumonia severa.

Segundo a representante da OMS (Organização Mundial da Saúde), esse caso é o primeiro de morte por coronavírus fora da China, mas o homem não adquiriu a doença nas Filipinas, por isso a população podia se acalmar.

Ainda segundo informações, o chinês começou a apresentar sinais de melhora mas piorou de novo rapidamente e em 24 horas ele já estava muito mal. De acordo com informações, o corpo do chinês que morreu de coronavírus nas Filipinas será cremado.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!