Em dezembro de 2019, surgiu na província chinesa de Wuhan um vírus da família coronavírus que vem assombrando o mundo com crescente número de casos. A doença causada por este vírus, que está sendo chamada de Covid-19, vem se espalhando rapidamente, mesmo tendo uma letalidade considerada baixa.

Cresce o número de infectados pelo coronavírus no mundo

O número de infectados já passam de 150 mil, com mais de 5700 mortes confirmadas. O país com maior número de ocorrências até o momento é China, local de origem da doença com 81 mil infectados. Apesar da origem chinesa, os demais países não esperavam que um alastramento ocorresse de forma rápida, o que ocorreu na Itália, Irã e na Coreia do Sul.

Nestes três países o número de infectados já chegam a 17, 10 e 7 mil infectados, respectivamente. Apesar do número de mortes ser relativamente baixo em relação a outras doenças, na Itália a proporção está em 6,81% em função de sua população mais envelhecida.

O assunto coronavírus é o mais disseminado atualmente e movimentou bastante a semana que passou. Donald Trump fechou as fronteiras aéreas com a Europa por 30 dias e decretou emergência nacional nos Estados Unidos, gerando maiores preocupações nos mercados de todo o mundo. Isto tudo somado a declaração oficial da Organização Mundial a Saúde (OMS), classificando o coronavírus como pandemia.

No Brasil, coronavírus também preocupa

No Brasil, o número de casos de coronavírus é crescente após o Carnaval.

Atualmente temos em torno de 121 infectados e milhares de suspeitas. Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro estava com suspeita de ter contraído a doença, mas testou negativo em exame realizado. As suspeitas se iniciaram após o Secretário da Presidência, Fábio Wajngarten, ser confirmado com a doença. Este fato levou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a realizar testes em função do contato recente com Wajngarten.

Medidas vem sendo tomadas pelos estados, como São Paulo, que cancelou todos eventos com mais de 500 pessoas por tempo indeterminado. As aulas da rede pública de educação também devem ser canceladas gradativamente enquanto o governo estuda formar de garantir um ensino à distância. No Rio de Janeiro, o decreto foi mais intenso, com paralisação total das redes públicas e privadas de ensino, eventos culturais e esportivos proibidos por pelo menos 15 dias com a Polícia Militar com autorização para interditar praias e demais aglomerações.

Em resumo, todos os estados estão lançando medidas restritivas para tentar conter a disseminação do coronavírus, visto que já temos transmissões comunitárias confirmadas no Brasil.

Especialistas dizem não haver motivo para pânico

Os cientistas afirmam que apesar dos mais de 150 mil infectados, não existe motivo para pânico generalizado, pois o coronavírus é parecido com uma gripe, porém a sua disseminação é alta em relação a outras crises ocorridas recentemente. Apesar das recomendações, a procura de acessórios como máscaras cirúrgicas e álcool em gel esta generalizada no Brasil e no mundo. Especialistas também estimam que o período de quarentena para cada pessoa que tenha suspeita de contração do coronavírus é de 14 dias sem contato com o público.

As notícias relacionadas as vacinas ainda não possuem um teor oficial. Várias empresas farmacêuticas estão em uma corrida para tentar desenvolver medicamentos para contenção da epidemia.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Ciência
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!