Ismael Alexandrino, o secretário de Saúde de Goiás, deu uma declaração na manhã da última segunda-feira (16) sobre como é o fluxo de procedimentos que devem ser adotados em relação aos pacientes com suspeita do coronavírus.

Ainda foi explicado que o protocolo atual adotado determina uma triagem para avaliar, a partir dos sintomas, quem pode estar ou não com o vírus. O secretário indicou também que agora seja feito o uso de um aplicativo chamado Corona SUS, que irá ajudar no processo para que seja identificada a doença no paciente.

Goiás soma quatro casos de coronavírus

Goiás tem quatro casos atualmente confirmados de coronavírus e conta com 85 suspeitos até a última segunda-feira (16), quando os números foram informados. Alexandrino declarou que inicialmente a pessoa precisa se enquadrar em alguns critérios para que a suspeita seja considerada em primeiro lugar.

Os critérios que serão avaliados serão tosse, coriza e dificuldade para respirar. Além disso, é preciso levar em consideração também um histórico de viagens para fora do país ou outro estado que tenha casos da doença registrados e também no caso da pessoa ter entrado em contato com alguém nas condições supracitadas.

Nestas circunstâncias que foram apresentadas, é preciso primeiramente que o paciente procure por uma Unidade Básica de Saúde (UBS). A avaliação necessária será feita, e caso o médico julgue que seja pertinente, será acionada uma equipe do Centro de informações Estratégicas e Respostas de Vigilância em Saúde (Cievs).

O secretário ainda explicou que a equipe irá questionar se é possível que seja feita a coleta de secreção ainda na unidade, caso não tenha condições devido ao kit usado, ele será levado até o local adequado para recolher as amostras necessárias.

Em seguida, o material será encaminhado ao Laboratório de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen/GO), onde o teste será realizado para comprovar se o paciente é portador do coronavírus de fato ou não.

As pessoas que tiverem acesso a planos de saúde também precisarão procurar por uma unidade de saúde privada para realizar o teste caso seja necessário.

Além disso, o secretário informou que alguns laboratórios particulares atualmente estão realizando o exame necessário para comprovar a doença, e que o custo para que o exame seja realizado varia entre R$ 150 e R$ 500, e o prazo para que o resultado do exame em questão saia é de no máximo 72 horas.

Caso seja confirmado o diagnóstico do paciente, independentemente de ele ser na rede pública ou privada, o mesmo deverá ser avaliado quanto à sua condição e a necessidade de que seja feita uma internação para o mesmo.

Na situação em questão é preciso que a pessoa seja levada para unidades de referência. Em Goiás, será o Hospital de Doenças Tropicais (HDT) ou então o Hospital do Servidor, que estão sendo usados agora para pacientes de Covid-19.

Não perca a nossa página no Facebook!