Na última quinta-feira (28), a repórter Luciene Kaxinawá, da CNN Brasil, chegou a passar mal após fazer um link ao vivo na cidade de Manaus. Na ocasião citada, a repórter chegou a sofrer um desmaio e foi socorrida pela equipe que estava acompanhando a reportagem. As informações em questão foram divulgadas pelo colunista Flávio Ricco, do UOL.

De acordo com as informações do jornalista em questão, a CNN Brasil chegou a confirmar a situação descrita, mas ainda não entrou em detalhes sobre o desmaio e sobre o que pode ter ocasionado isso, de forma que ainda não existem maiores atualizações sobre o caso e sobre o estado de saúde da repórter.

Sobre Luciene Kaxinawá, é possível afirmar que ela é a primeira repórter indígena da emissora em questão. A jornalista nasceu em Rondônia e chegou a trabalhar pelo período de sete anos na Rede Amazônica, responsável por realizar as transmissões da programação da Globo para os cinco estados da região Norte do Brasil.

É possível afirmar que Luciene ainda era apenas estudante de jornalismo quando começou a sua cobertura acerca dos conflitos ligados aos povos indígenas na região em questão, assim como nas fronteiras do Brasil. A jornalista faz parte da tribo Kaxinawás, habitantes das florestas tropicais do Brasil e de algumas regiões do Peru.

Sobre o desmaio, foi informado pela CNN somente que atualmente Luciene está passando bem.

Repórter sofre 'apagão' em transmissão ao vivo

Ainda na última sexta-feira (22), outro repórter da CNN Brasil sofreu um “apagão” durante uma transmissão ao vivo da emissora citada. O repórter em questão é Jhonatã Gabriel e os fatos destacados acabaram fazendo com que Luciana Barreto precisasse encerrar a sua participação.

Na ocasião citada, Jhonatã estava ao vivo da cidade de Salvador e comentava a respeito dos casos de Covid-19 entre os agentes de saúde da cidade. Também foi informado que esses profissionais receberiam um auxílio do governo do estado.

Logo depois de observar o seu celular, Jhonatã Gabriel não conseguiu mais falar e chegou a pedir desculpas pelo que tinha acontecido.

Entretanto, não foi divulgado o que aconteceu com o repórter nessa ocasião e os motivos para que a sua participação na transmissão tenham sido interrompidas.

Assim como as informações sobre o caso de Luciene Kaxinawás, as informações sobre o “apagão” de Jhonatã foram veiculadas pelo colunista Flávio Ricco, que chegou a pontuar que caso novas atualizações surgissem a respeito de ambos os casos, as reportagens relativas a eles seriam prontamente atualizadas com as novas informações. Entretanto, até o presente momento, a CNN Brasil ainda não prestou maiores esclarecimentos além do já destacado.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!