Nesta quarta-feira (24) o Ministério da Saúde informou um avanço significativo nos casos da doença envolvendo o novo coronavírus (Covid-19) no Brasil. Na semana passada os dados mostravam uma tendência de estabilização da curva de novos casos positivos e óbitos.

Contudo, os dados recentes têm apontado um grande aumento, com recordes diários tanto de infecção como de mortes. Segundo o secretário de vigilância em saúde, Arnaldo Medeiros, houve um equívoco na análise de que estava havendo uma diminuição dos casos, posto que essa semana o aumento foi bastante significativo.

O aumento diário gira em torno de 22% quando comparado ao da semana anterior, quando os dados mostravam uma desaceleração no ritmo de contágio.

A média diária de mortes também sofreu aumento. Atualmente 53.830 mil pessoas foram vítimas fatais do Covid-19. O número de contágio também subiu para aproximadamente 1,2 milhão de casos confirmados.

Nas últimas 24h cerca de 43 mil novos casos de Covid-19 foram registrados com 1.185 mortes, conforme dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

Variação da pandemia de Covid-19 no Brasil

Informações do Ministério da Saúde mostram que o Centro-Oeste tem sofrido as maiores altas diárias, chegando a praticamente dobrar o número de novos casos, com uma taxa de 98%, e um aumento de 59% no índice de mortes.

Já na região Sul, o aumento do número de casos foi de 76%, com 46% de aumento no número de mortes.

No Sudeste o aumento foi de 26% ne novos casos e 30% no de óbitos.

O menor aumento foi na região Nordeste, onde o número de casos subiu 14%, com uma redução de 11% no número de mortos. Já o norte obteve uma redução nas duas situações (contágio e morte).

Segundo Eduardo Macário, diretor do departamento de vigilância, está ocorrendo um maior avanço da circulação do vírus em algumas regiões e que tem a ver com a transição das estações.

A maior parte dos municípios do país (4.937) já registraram casos de Covid-19. O aumento está se estendendo para o interior e diminuindo nas capitais.

Ministério anuncia novos critérios

O Ministério da Saúde informou que além de exames laborais haverá uma confirmação dos casos em pacientes com síndrome gripal ou síndrome respiratória aguda que tenham tido contato com alguém confirmado positivo para Covid-19, casos ou mortes pelo motivo anterior, pessoas com casos de SG ou SRAG que tenham perdido o paladar ou olfato sem outras causas pregressa e pessoas assintomáticas que tenham feito o teste laboral positivo.

De acordo com o Ministério da Saúde, essas medidas irão facilitar o diagnóstico e prováveis medidas de prevenção e mitigação da circulação do coronavírus sem que seja preciso fazer testagem.

O Ministério também lançou novamente o programa de testagem Diagnosticar para Cuidar, que visa realizar 46 milhões de exames no país, cobrindo cerca de 22% da população brasileira.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!