Pacientes com covid-19 e altos níveis de cortisol no sangue, observados em estudo do Imperial College (Londres, Inglaterra), têm a probabilidade de morte aumentada. Embora níveis baixos de cortisol também aumentem o risco de morte por covid-19, e a elevação do nível deste hormônio seja esperado na doença pelo novo coronavírus, as altas elevações são preocupantes, segundo o líder da pesquisa, professor Wajit Dhillo, chefe da Divisão de Diabetes, Endocrinologia e Metabolismo do Imperial College.

A produção do hormônio cortisol

Nas glândulas adrenais (posicionadas acima dos rins) é produzido o cortisol, também conhecido por hormônio do estresse.

Seu pico de produção ocorre um pouco antes do dia amanhecer e a luz tem influência direta na liberação do cortisol, que é um dos mais potentes anti-inflamatórios do nosso corpo.

O cortisol é um hormônio importante para o nosso organismo e suas funções são de reduzir inflamações, atuar para o funcionamento adequado do sistema imune e manter a glicemia e a pressão arterial, constantes.

Os níveis de cortisol no sangue variam durante o dia, porque estão intimamente ligados ao nosso relógio biológico, dentro do período de 24 horas, o ciclo circadiano. Portanto, os níveis de cortisol basal no sangue, geralmente, são maiores de manhã, ao acordar e depois vão diminuindo ao longo do dia. Assim o hormônio do sono é produzido à noite.

O repouso é fundamental para que o corpo humano possa reconstruir seus tecidos, para que haja realmente um descanso os níveis devem estar baixos a partir do final da tarde.

Com a caracterização de uma pandemia, identificada e anunciada pela Organização Mundial da Saúde do dia 11 de março deste ano, e a recomendação do isolamento social, hoje a Ciência e seus pesquisadores estabelecem relações do aumento dos níveis de cortisol por questões vinculadas à saúde mental e emocional, por falta de contato físico, recebimento massivo de informações negativas com a permanência em casa.

Este hormônio é muito estudado e para que tenhamos uma boa saúde ele precisa estar em equilíbrio, pois tantos níveis baixos como níveis altos são muito prejudiciais à saúde.

Os efeitos do covid-19 no cortisol são atualmente desconhecidos.

Ciência e as novas informações sobre o novo coronavírus surgem a cada dia

Este estudo foi realizado com 535 pacientes internados em 3 hospitais de Londres com suspeita de covid-19. Ele mostrou a relação dos altos níveis de cortisol com o aumento do risco de morte por covid-19, baseados em valores de referências:

  • Nível de cortisol em indivíduos saudáveis em repouso: 100-200 nmol/L
  • Nível de cortisol enquanto dormimos: ~ 0 nmol/L
  • Nível de cortisol alto em pacientes após grande cirurgia: 1.000 nmol/L
  • Nível de cortisol alto nos 403 pacientes com covid -19: 3.241 nmol/L

Pesquisa mostra que níveis altos de cortisol são um marcador da covid-19

Os novos dados demonstrados pela pesquisa do Imperial College poderão ser utilizados para identificar pacientes com covid-19 com maior probabilidade de complicações durante o desenvolvimento da doença e precisarem de tratamento intensivo.

O estudo, realizado entre 9 de março a 22 de abril de 2020, foi publicado na revista científica The Lancet Diabetes & Endocrinology e financiado pelo Instituto Nacional de Pesquisa em Saúde e pelo Conselho de Pesquisa Médica. Testes para covid-19 foram aplicados nestes pacientes para separá-los em grupos, incluindo uma medida inicial dos níveis de cortisol, que foram realizados dentro de 48 horas da admissão destes nos hospitais. Durante o período do estudo, pouco menos de 27% do grupo covid-19 morreu em comparação com pouco menos de 7% do grupo não covid-19.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Ciência
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!