A farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta última terça-feira (8) uma pausa global nos testes de estágio final de sua vacina contra o novo coronavírus, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, após uma voluntária no Reino Unido apresentar reação adversa que pode estar vinculada à vacina.

Segundo informações do site Stat, Pascal Soriot, CEO da Astrazeneca, disse durante uma conferência privada com investidores que uma voluntária apresentou sintomas neurológicos consistentes com uma doença espinhal inflamatória chamada mielite transversa. Este diagnóstico, no entanto, ainda não foi confirmado.

Suspensão das vacinações em voluntários

A suspensão do estudo permitirá que um conselho independente de especialistas determine se a condição da participante está ligada à vacina ou se é apenas uma coincidência. Parte desse processo incluirá a geração de uma linha do tempo dos sintomas do participante para ver se eles correspondem aproximadamente ao período em que a vacina foi administrada. O comitê também investigará outras causas potenciais dos sintomas, em processo de eliminação. Depois de determinar se a vacina da AstraZeneca é a provável culpada, os especialistas aconselharão a empresa sobre a retomada dos testes.

Nesse ínterim, nenhuma outra dose da vacina será administrada. Ainda não está claro quanto tempo levará o processo de avaliação.

Os representantes da AstraZeneca não responderam aos repetidos pedidos de comentários e esclarecimentos.

Suspensão não seria a primeira

Ainda segundo o Stat, esta seria a segunda vez que a AstraZeneca interrompe os testes com a vacina. Em julho passado, segundo o site, um voluntário apresentou sintomas neurológicos.

Após uma análise detalhada, o paciente acabou sendo diagnosticado com esclerose múltipla e foi concluído que o evento não teve relação com a vacina, abrindo espaço para a retomada dos testes.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!