"Olhos que Condenam" ("When They See Us"), uma das estreias do mês de junho da Netflix, conta a história real de cinco adolescentes do Harlem acusados injustamente de cometerem estupro.

A minissérie de quatro episódios é uma criação de Ava DuVernay e tem no elenco Asant Blackk, Caleed Harris, Ethan Herisse.

Em 1989, adolescentes negros e pobres do Harlem vão ao Central Park para se divertir, mas ali perto ocorre um crime bárbaro.

Uma jovem é encontrada desacordada e com sinais de ter sido espancada e estuprada.

O grupo de adolescentes negros foi dado como suspeito de ter cometido o crime pela promotora Linda Fairstein, que na época comandava a unidade de crimes sexuais de Nova York. A promotora tenta ligar a todo custo os adolescentes ao crime cometido contra a jovem mulher.

Ela usa a tática de fazer interrogatórios exaustivos e mal intencionados. Os questionamentos são conduzidos por ela até que o grupo de adolescentes confessa ter cometido o crime de que na verdade eram inocentes.

Os então adolescentes: Antron McCray, Kevin Richardson, Yusef Salaam, Raymond Santana e Korey Wise, acabaram sendo condenados e cumprem penas entre seis e treze anos.

Os rapazes somente foram libertados quando, em 2002, o verdadeiro autor do crime assumiu a culpa pelo estupro da jovem mulher branca.

Um exame de DNA confirmou ter sido Matias Reyes o autor do crime pelo qual os jovens haviam sido acusados.

Hoje, os cinco homens estão na faixa dos 40 anos e moveram um processo contra a prefeitura de Nova York e receberam a quantia de US$ 41 milhões de indenização.

A produção, além de mostrar o racismo, aborda outros temas, como, por exemplo, o desamparo das famílias dos acusados, todas elas pobres.

Elas sofrem com a questão da imigração ilegal, o preconceito da sociedade contra ex-presidiários, entre outros temas enfrentados pela parcela mais carente da sociedade americana.

Donald Trump

O atual presidente americano Donald Trump tem uma curiosa participação no caso dos cinco do Central Park.

O atual morador da Casa Branca na época não poupou esforços para que os cinco adolescentes fossem condenados à morte.

Donald Trump desembolsou a quantia de US$ 85 mil em campanhas em jornais para que os jovens negros fossem executados. Imagens reais de Donald Trump sendo entrevistado sobre o caso são mostradas na série.

Recentemente, os cinco acusados injustamente deste crime deram entrevista à apresentadora Oprah Winfrey e se sentiram agradecidos pela humanização deles feita pela minissérie da Netflix.

Apesar da dor causada pelo julgamento mostrado na série, o grupo também teve o sentimento de redenção.

Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!