Falando de gays, existem mais pessoas relacionadas a esse termo, mas que se enquadram em outros departamentos, por isso a criação da LGBT.

O que é LGBT afinal? É uma sigla que abrange praticamente os indivíduos que fazem parte da nossa sociedade, e são tidos como homossexuais.

Homossexualidade é o que difere das pessoas que sentem atração pelo sexo oposto, os homossexuais são emocionalmente e espiritualmente atraídos por pessoas do mesmo sexo.

O termo homossexual data de 1868 quando foi criado pelo jornalista austro-húngaro de nome Karl-Maria Kertbeny. Supõe-se que desde a antiguidade já existiam pessoas com tais perfis.

Gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros são designados, em uma única sigla LGBT. Esta sigla se refere a todos aqueles que tem diferenciação da orientação heterossexual. É um movimento que busca valer os direitos de cidadãos desses grupos sociais, contra a discriminação o preconceito e a homofobia.

E esse movimento se iniciou com a denominação de GLS, que compreende os gays, lésbicas e simpatizantes.

Houve um crescimento atraindo outros elementos que não se encaixavam nas descrições da entidade, mas sofriam discriminações e preconceito, precisando de direitos específicos, daí a sigla modificou-se abrangendo a todos aqueles que se sentiam desamparados, esquecidos pela sociedade, em função do estilo de vida e orientação sexual.

Na Conferência Nacional que se deu em Brasília em 2008, ocorreu a mudança oficial de GLS para o já bastante conhecido internacionalmente LGBT, movimento que tem sofrido muito preconceito, especialmente por extravagâncias como a parada gay, ou a defesa dos membros do grupo que optaram pela mudança de sexo, o que causou muitas críticas nos setores mais conservadores da sociedade, com base nos valores tradicionais, no caso a família e a religião.

Atualmente, o movimento LGBT vem avançando, ganhando espaço, em diversos segmentos, sendo amplamente defendidos e apoiados por políticos, organizações não governamentais (ONGs), artistas, intelectuais, e diversos meios de comunicações.

Confira alguns artistas que são homossexuais [VIDEO], transexuais, bissexuais ou até mesmo simpatizantes da causa. Eles são muito bem sucedidos na sua carreira, atuando atualmente na novela de Gloria Perez, A Força do Querer [VIDEO].

O ator Marco Pigosi nunca afirmou e nem negou ser homossexual, em uma entrevista ele disse apenas que prazer não tem gênero.

Uma das mulheres mais belas da televisão brasileira, Bruna Linzmeyer é bissexual assumida.

Carol Duarte que vem representando na trama uma transexual, na vida real é lésbica, e fez questão de divulgar isso nas suas redes sociais.

Silvero Pereira, o motorista Nonato, tem uma realidade bem parecida com seu personagem. Ele gosta de se 'montar' com roupas e acessórios femininos, e é muito realizado no que faz.

A surpresa fica por conta de Maria Clara Spinelli, a bela mulher é transexual, e entrou para a história ao interpretar uma mulher cisgenero na televisão brasileira.