4

Nas profundezas das selvas sul-americanas, uma enorme serpente certa vez perseguiu a sua presa. O predador se aproximou de um lagarto gigante, e o acertou em um piscar de olhos, quebrando o seu o pescoço em um golpe rápido. O lagarto sequer ouviu a Titanoboa vindo entre a selva pré-histórica de 60 milhões de anos atrás [VIDEO].

Onde viveu este monstro pré-histórico?

A Titanoboa prosperou nas selvas tropicais da América do Sul cerca de cinco milhões de anos após a extinção dos dinossauros. Depois que os dinossauros foram eliminados, havia um vácuo no topo da cadeia alimentar e a Titanoboa alegremente deu um passo à frente.

Essa espécie pré-histórica de Cobra cresciam até 15 metros comprimento e chegava a pesar mais de um tonelada. Ela era tão grande quanto um reboque que você vê nas rodovias e cerca de duas vezes mais pesada que um urso polar. Somente a sua cabeça podia medir até um metro no total e a abertura da sua boca chegava a impressionantes 3 metros. Se você tivesse a terrível experiência de encontrar com esta cobra, ela poderia engolir você inteiro de uma só mordida e você estaria morto antes que pudesse gritar por ajuda.

A descoberta colossal

Cientistas encontraram um conjunto de ossos quase intactos que pertenciam ao crânio de uma dessas cobras em uma mina de carvão colombiana no ano de 2011. Você jamais imaginaria que uma trilha de minas de carvão empoeirada e desgastada no norte da Colômbia poderia abrigar o crânio de uma cobra gigante, mas os depósitos de carvão são recheados de restos de antigas formas de vida que foram esmagadas sob o peso da crosta terrestre [VIDEO].

A área que é hoje a Colômbia estava abaixo do nível do mar na era pré-histórica. Era quente, úmida e havia muita chuva. A Titanoboa se encaixava perfeitamente neste ambiente escuro e com a sua pele marrom se camuflava perfeitamente em águas barrentas. A cobra encontrada pelos cientistas provavelmente foi morta em um deslizamento de terra que a soterrou. Milhões de anos e dezenas de metros de rocha depois, o crânio brotou dos campos ricos de carvão.

Para demonstrar o quão imponente a Titanoboa poderia ser, um grupo de estudiosos de Nova York fizeram em 2012 uma maquete que exibia a cobra gigantesca engolindo o que parecia ser um crocodilo com a cauda pendurada na boca da cobra. Não precisa dizer que o modelo chamou a atenção das pessoas. O objetivo da exposição era mostrar como essas criaturas pré-históricas poderiam ser comparadas nos dias de hoje.

A rainha de todas as cobras

A Titanoboa simplesmente não pode ser comparada com nenhuma outra cobra moderna. Ela sobrevivia exclusivamente da da caça e da emboscada, muito parecido com um crocodilo, onde ela atacava rápida e ferozmente.

Até a descoberta de Titanoboa, o maior fóssil de cobra já encontrado chegou a 10 metros e pesava 450kg, esse fóssil foi batizado de Gigantophis, uma cobra que viveu 20 milhões de anos atrás na África [VIDEO].

A maior espécie de cobra nos dias de hoje é a anaconda gigante, ela mede cerca de 6 metros e meio de comprimento, ou menos de um terço do tamanho de uma Titanoboa média e pesa cerca de 250kg. Essas gigantes contemporâneas, que são terríveis o suficiente para serem vistas na natureza, parecem anãs, em comparação com o tamanho de seus ancestrais mortos há muito tempo.