No ano de 1978, o veterano de guerra Craig Coley foi acusado de homicídio pelo assassinato de sua esposa, Rhonda Wicht, na época com 24 anos, e seu filho Donald, que tinha quatro anos. Quando foi encontrada em seu apartamento na cidade de Simi Valley, estado de Califórnia (EUA), a jovem estava com sinais de estupro e estrangulamento, causados possivelmente por uma corda. Seu filho também estava com sinais de sufocamento.

Na época, um vizinho alegou ouvir discussões vindo do apartamento do casal e Coley passou a ser o primeiro suspeito da Polícia.

O primeiro julgamento do caso ocorreu em 1979 e foi suspenso por indecisão do júri. Ainda assim, ele foi considerado culpado, e no ano seguinte, condenado à prisão perpétua, sem liberdade condicional. Desde o ano de 1989, o ex-detetive de polícia Mike Bender se mobilizou com o caso e acompanhou de perto a busca pela liberdade de Craig.

Acordo extrajudicial

Diversas inconsistências foram apontadas no processo de acusação, mas foi somente em novembro de 2017, depois de duas sessões de julgamento e testes de DNA terem provado que ele não tinha ligação com o crime, que o então governador Jerry Brown finalmente concedeu a liberdade a Craig Coley, hoje com 71 anos de idade.

A iniciativa do Departamento de Polícia em reabrir o caso levou à descoberta dos exames de DNA que inocentaram Craig Coley.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Fofocas

Esses exames faziam parte de uma investigação que ocorreu no ano de 2016, sob a custódia de policiais que duvidavam da culpa do veterano de guerra.

Na época, investigadores encontraram amostras biológicas que supostamente estavam perdidas em um laboratório particular. Novos testes foram feitos e provaram que o DNA encontrado em uma das provas não era compatível com as amostras de Cole.

No dia 23 de fevereiro deste ano, a prefeitura de Simi Valley, Califórnia, emitiu um comunicado sobre sua indenização.

Por meio de um acordo extrajudicial, ficou acertado que o acusado e preso injustamente por quase quatro décadas vai ser indenizado com o valor de US$ 21 milhões, o que equivale aproximadamente a R$ 78 milhões. O montante deve ser pago pela administração de sua cidade de residência.

Coley não tinha antecedentes criminais e foi considerado um preso modelo durante os anos de detenção. No estado da Califórnia, sua prisão foi a mais longa já revogada.

Após quarenta anos, o caso de assassinato ainda não foi concluído e o Departamento de Polícia continua seguindo pistas da morte da jovem Rhonda e do pequeno Donald.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo