5 vencedores mais estranhos do prêmio IgNobel

IgNobel premia as pesquisas mais estranhas. (Arquivo Blasting News)
IgNobel premia as pesquisas mais estranhas. (Arquivo Blasting News)

O IgNobel é um prêmio dado às pesquisas mais bizarras do ano, algumas chegam a ser engraçadas.

Não perca as atualizações mais recentes
Clique nos tópicos de interesse e comece a segui-los. Nós vamos sempre te manter atualizado com as principais notícias.
clique para ver o vídeo
Covid-19: governo diz que Brasil comprará primeira vacina disponível no mercado

O IgNobel é uma versão mais divertida do prêmio Nobel e é dado a cientistas em diversas categorias.

1

Mimosa & Cia

Em 2009, o IgNobel adicionou a categoria de medicina veterinária ao prêmio. E sim, houveram ganhadores. Catherine Douglas e Peter Rowlinsson fizeram uma pesquisa com produtores de leite. O intuito era saber se as vacas que tinham nome produziam mais leite que as vacas não batizadas. Para a surpresa de todos, a resposta foi sim, as vacas que tinham nomes produziram 86 galões a mais de leite num período de 10 meses que as que não tinham nome. (Reprodução/Pixabay)

2

Benefícios do canibalismo

Em 2018, James Cole ganhou o IgNobel na categoria nutrição. O estudo dele se baseou na ingestão calórica em dietas carnívoras, mas ele foi muito além disso, ele nomeou seu estudo de: ''Avaliando o significado calórico dos episódios de canibalismo humano no paleolítico". James descobriu que o valor calórico e nutricional no canibalismo é muito menor que uma dieta carnívora tradicional a base de animais. (Reprodução/Pixabay)

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!