Julian, filho de John Lennon, achava o pai "hipócrita" por defender a paz, o amor e destruir sua família. A revelação foi feita em entrevista no ano de 1998 ao Telegraph e lembrada pelo site da revista Rolling Stones nesta sexta-feira (27). John Lennon foi assassinado em 8 de dezembro de 1980, e a data está sendo lembrada por várias revistas, jornais e sites neste mês, destacando fatos da época.

A separação de John Lennon e Cynthia, sua primeira esposa, não foi bem absorvida pelo filho durante anos.

O casamento aconteceu em 1962, bem na fase de início da carreira dos Beatles, e um ano depois nasceu Julian (8 de abril de 1963). O padrinho do bebê foi Brian Epsein, então empresário do quarteto de Liverpool. Brian teria articulado que Julian e sua mãe fossem mantidos escondidos da imprensa durante um tempo para não gerar desinteresse por parte dos fãs. O nome Julian foi uma homenagem a Julia, sua avó paterna --que foi motivo de pelo menos duas músicas de John: "Julia" e "Mother".

Reaproximação

As coisas pareciam correr bem para o casal durante os primeiros anos, mas o casamento desmoronou conforme os Beatles ganhavam destaque e fama.

O rompimento iniciou com o Relacionamento de John com a artista plástica Yoko Ono. Eles começaram a se envolver e o ex-Beatle se separou --oficialmente-- de Cynhia em 1968, quando ela voltava de uma viagem com o filho. Mãe e filho foram até a casa de Yoko em Nova York ver John, numa cena constrangedora. Na época, conforme Julian revelou, a relação dele com o pai era bem distante.

A reaproximação entre pai e filho começou em 1973.

Julian visitava o pai com mais frequência e mostrava interesse por Música, o que foi incentivado por John. Tudo isso graças a May Pang, namorada de John na época, num curto período onde o músico estava separado de Yoko Ono. A volta com Yoko foi articulada pelo cantor Elton John.

Hipócrita

O relacionamento entre pai e filho parecia tomar rumo positivo, apesar de um certo ambiente de frieza, ainda segundo Julian, mas tudo foi interrompido com a morte do astro a tiros em 1980.

Na entrevista ao Telegraph, Julian criticou o pai pela forma com que ele terminou a relação com Cynthia e descarregou sua mágoa: "Devo dizer que, do meu ponto de vista, ele era um hipócrita".

Para justificar seu sentimento, Julian explicou que Lennon falava em paz e amor para o mundo, mas nas quatro paredes do lar ele nunca teria aplicado esse comportamento com a esposa e o filho. Família em pedaços, falta de comunicação adultério e divórcio, foram palavras usadas pelo filho do ex-Beatle. Aconteciam até abraços e manifestações de afeto, mas sempre havia "uma tensão desconfortável", admitiu aos repórteres.

Hoje, com 56 anos, Julian atua como cantor, compositor, produtor, fotógrafo e filantropo. Ele tem um estilo musical e voz parecida com a do pai.

Não perca a nossa página no Facebook!