O suspeito de ter violentado e matado a menina Sara Manuela Silva, de 9 anos, no fundo de um vale, em Londrina, no norte do Paraná, confessou em depoimento ser o autor do crime, segundo informações da Polícia Civil. A menina foi encontrada morta em um matagal por moradores da região no último domingo (21).

Ao realizar o boletim de ocorrência da criança, o padrasto da menina teria dito aos agentes que estava tomando banho por volta das 10h de sábado (20), quando teria percebido o desaparecimento de Manuela.

Após perceber que a menina não estava na residência, resolveu ir fazer buscas pelo local com um primo, mas não a encontrou. Ele ainda teria dito aos policiais que pessoas da região teriam escutado uma criança pedir por socorro no interior de um automóvel preto.

A confissão do padrasto da menina, Sandro de Jesus Machado, de 25 anos, ocorreu nesta segunda-feira (22). De acordo com o delegado Osmir Ferreira Neves, o suspeito teria ficado em silêncio em seu primeiro depoimento, mas ao ser interrogado por uma segunda vez acabou confessando a autoria do crime.

Segundo o suspeito, ele e a menina teriam saído de casa com o pretexto de apanhar uma galinha para confraternizar com a família, mas chegando a um determinado local, ele abusou sexualmente da criança e ofereceu à menina o valor de R$ 5 para que ela não contasse o ocorrido, mas acabou ficando com medo da menina falar e a matou.

Moradores da região encontraram o corpo da criança seminu e com uma nota de R$ 5 em uma de suas mãos na manhã deste domingo.

De acordo com os agentes militares que compareceram ao local para atender a ocorrência, a criança estava com marcas na região do pescoço e aparentava ter sido abusada.

A prisão do padrasto da criança ocorreu no domingo por agentes militares após moradores da região terem tentado agredi-lo.

Ainda segundo o delegado do caso, o homem teria inventado toda a história por ter ficado com medo e disse que teria abusado da menina somente nesta vez.

Sandro responderá pelos crimes de estupro de vulnerável e feminicídio. Segundo a polícia, ele não possui nenhum advogado para defendê-lo ainda.

Mãe da menina encontrou sangue e terra

Ao prestar depoimento na delegacia neste domingo, a mãe de Manuela mencionou à polícia que o marido nunca teria feito mal a criança e e que ela está muito surpresa por ele ter sido o responsável pela morte da filha. "Foi um baque pra mim, eu nunca esperava que ele poderia fazer isso. Ele nunca a tratou mal e também nunca percebi nada de diferente dentro de casa", disse a mãe.

Ainda segundo a mãe de Manuela, ela passou a desconfiar de seu companheiro após notar vestígios de sangue e terra no banheiro de sua residência.

Depois de perceber isso, ela disse que teria chamado as autoridades.

Manuela foi enterrada nesta segunda-feira (22), no cemitério da região, por volta das 10h da manhã.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!