Os números impressionam. Até a última sexta-feira (17), a Caixa pagou mais de 11 bilhões de reais a quase 17 milhões de cidadãos . Mas alguns beneficiários reclamam que não conseguem receber em função de problemas no cadastro.

A dificuldade em tirar dúvidas é um dos itens de protesto dos contribuintes. Essas reclamações circulam em redes sociais. Outro aspecto levantado por quem busca o benefício é a demora na resposta da solicitação.

A promessa da Caixa é que o depósito ocorra em até cinco dias após a aprovação, mas isso não acontece. O jornal Agora São Paulo cita o exemplo de uma pessoa que teve o pedido aprovado em 16 de abril, mas não obteve respostas do banco, mesmo procurando os canais de informações disponíveis pelo pagamento do auxílio emergencial.

Rebate

Ao jornal, a Caixa se defendeu. Disse que os cinco dias estabelecidos são uma estimativa projetada pelo banco. Uma dica é acompanhar o calendário de pagamentos pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Há um outro ponto que levanta dúvidas de quem corre em busca do auxílio emergencial. E ele diz respeito à correção das informações no cadastro, seja ele no site ou no aplicativo do auxílio.

A Caixa informa que a análise é feita pelo Dataprev. Se houver a necessidade de correções, esse dispositivo será liberado ao cidadão, conforme enfatiza o banco. O recado que se faz necessário a quem busca o benefício é: acompanhar o pedido do recurso, mas esse ato requer paciência, pois o número de acessos é alto e isso causa instabilidade no sistema.

Requisitos

Outra informação relevante aos interessados em receber o auxílio emergencial. O contribuinte precisa estar com o CPF, que é o Cadastro de Pessoa Física. Caso contrário, o pagamento do benefício, que pode chegar a R$ 1.800 para algumas categorias de trabalhadores, acaba inviabilizado.

Contudo, o jornal traz alguns exemplos de trabalhadores que estão com o CPF em ordem, mas as informações não batem com o cadastro da Receita Federal, reforça o Agora São Paulo.

A Receita Federal, por sua vez, atribui esse problema a instabilidade do sistema, uma vez que o acesso às informações, simultaneamente, é fora do comum.

A dica é acessar o sistema em horários diferentes do dia. E também verificar se na página da Receita consta a situação do CPF como “regular”. Se aparecer uma mensagem erro de CPF no CadUn, isso quer dizer que o solicitante do benefício está em análise para participar do programa.

Outra dica relevante. Se o auxílio emergencial não for movimentado pelo contribuinte em 90 dias, ele retorna aos cofres do governo. Qualquer dúvida do trabalhador pode ser esclarecida via internet. Essa é a principal recomendação da Caixa para não expor o cidadão às filas que se formam nas agências bancárias.

Além do site e aplicativos, o trabalhador tem os telefones 111 (banco) e 121 (Ministério da Cidadania) para dirimir todas as dúvidas.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!