Nesta segunda-feira (20), a Caixa Econômica Federal divulgou que a segunda parcela do coronavoucher (auxílio emergencial) começará a ser paga na próxima quinta-feira (23). Segundo informações da Caixa, cerca de 42 milhões de beneficiários que já receberam a primeira parcela terão acesso à segunda remessa ainda esta semana.

De acordo com Pedro Guimarães, presidente do banco estatal, o pagamento iniciará na quinta-feira (23) contemplando aquelas pessoas que nasceram nos meses de janeiro e fevereiro. Na sexta-feira (24) será a vez daqueles que nasceram nos meses de março e abril, e assim por diante.

Dessa forma, o governo pretende atender todos aqueles que já estão cadastrados e já foram contemplados com o auxílio que varia de R$ 600 a R$ 1.800.

De acordo com a Caixa, 24 milhões de pessoas receberam a primeira parcela e R$ 16 bilhões já se encontram disponíveis para tal pagamento. Já aqueles que tiveram a solicitação negada, a Caixa informou que podem pedir a contestação no próprio aplicativo, mas aqueles que se encontram no cadastro do Bolsa Família e no Cadastro Único, mas não foram aprovados, poderão se cadastrar pelo aplicativo da caixa.

Auxílio emergencial e a visibilidade do cidadão no sistema econômico

De acordo com a estatal, a regularização do CPF (cerca de 13,6 milhões de pessoas) e a abertura de contas na Caixa dará bons frutos para a população de baixa renda.

Guimarães informou que mais de 30 milhões de contas foram abertas de forma gratuita com a finalidade de receber o auxílio emergencial, mas que há um benefício maior que é a visibilidade do cidadão no sistema econômico.

O presidente da estatal afirmou que mesmo aquelas pessoas que tiveram algum problema e que possam receber na quarta (22), se estiver nascido nos meses de janeiro e fevereiro poderão estar sacando a segunda parcela na quinta-feira (23) e assim consecutivamente.

Ainda de acordo com Guimarães, 50 milhões de downloads do aplicativo foram realizados.

Guimarães afirma que filas gigantescas na Caixa são para tirar dúvidas

As filas gigantescas que se formam nas agências da Caixa em todo o Brasil estão acontecendo devido às dúvidas que assolam os brasileiros, seja nas capitais ou no interior, segundo verificação pessoal de Guimarães, que ressaltou que o aplicativo as pessoas já têm, conforme o número de downloads tem demonstrado.

Diante desse quadro, o Ministério da Justiça permitiu que os vigilantes da Caixa trabalhem no exterior do banco orientando e organizando as filas nas agências da Caixa. O maior temor do governo está nas aglomerações que podem ser formadas no dia 27, pois é quando estará liberado para fazer o saque em espécie. Guimarães também informou que foram contratados mais atendentes para ajudar a conter aglomerações, bem como tirar dúvidas e ajudar nos saques.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!