Na noite da última quarta-feira (22), o Ministério da Cidadania divulgou que não poderá mais antecipar a segunda parcela do auxílio emergencial, no valor de R$ 600, que havia sido prometida pelo ministro Onyx Lorenzoni. De acordo com o argumento anexado na pasta, devido à alta procura pelo auxílio emergencial, o Governo terá que solicitar crédito suplementar para realizar todos os pagamentos.

Através de uma nota enviada à imprensa, eles alegam que tanto o Ministério da Cidadania quanto a Caixa Econômica Federal estavam pretendendo antecipar o pagamento da segunda parcela de R$ 600. Contudo, eles afirmaram que isso não será possível tendo em vista o alto número de trabalhadores informais que se cadastraram para receber o auxílio emergencial.

Além disso, eles também citam que o governo determinou que ninguém fosse deixado para trás, por isso, “todas as expectativas foram superadas” e acabou se tornando imperativa a solicitação do crédito suplementar para completar os atendimentos a todos os informais cadastrados.

Nesta quinta-feira (23), o governo iria começar a adiantar o pagamento da segunda parcela. Os primeiros informais a receber o benefício seriam os nascidos entre janeiro e fevereiro, escritos no Cadastro Único ou que se inscreveram através do aplicativo, ou site da Caixa econômica Federal.

Já para os beneficiários do programa Bolsa Família, como ainda se trata da primeira parcela, o cronograma de pagamentos continua mantido da mesma forma.

Nesta quinta-feira (23), beneficiários com o digito final do NIS 5 poderão realizar o saque de R$ 600.

O objetivo é atender a todos

Ainda através da nota, o Ministério da Cidadania ainda ressalta ser importante frisar o objetivo de garantir, de acordo com a lei, o atendimento a todos os trabalhadores informais do país.

Por isso, eles afirmam que após a realização de uma suplementação orçamentária, que deverá ser realizada pelo Ministério da Economia, será completado o pagamento da primeira parcela do auxílio. Já a segunda parcela será paga no mês de maio e o calendário de pagamentos logo será divulgado.

Dificuldade de recursos

Além de divulgar a não antecipação da segunda parcela do Auxílio-Emergencial, a pasta ainda ressalta ter seguido a recomendação da CGU (Controladoria Geral da União), diante das dificuldades de recursos para o pagamento a todos informais. Eles afirmam que o recurso disponibilizado para o pagamento da primeira parcela é de R$ 32,7 bilhões, no entanto, deste valor já foram repassados R$ 31,3 bilhões, e ainda há cerca de 12 milhões de cadastros a serem avaliados para o pagamento da primeira parcela do auxílio.

Por fim, diante da situação, o Ministério da Cidadania afirma ter recebido uma recomendação da CGU a este respeito.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!