Até a noite desta sexta-feira (10) mais de 104 milhões de pessoas que estavam esperando o resultado da análise para receber o auxílio emergencial de R$ 600 tiveram seus pedidos negados.

As informações são da Caixa Econômica Federal. Segundo a instituição bancária, entre os motivos pelos quais foram negados os pedidos do auxílio emergencial estão fraudes e desinformações em relação aos critérios que são exigidos. Em alguns casos, pesou o fato do interessado não fazer parte do Cadastro Único do Governo Federal.

A análise do pedido do auxílio emergencial

Todos pedidos para recebimento do auxílio emergencial passam por uma análise minuciosa do Dataprev, empresa de tecnologia que tem ligação com o Ministério da Economia.

O governo deixou claro em várias oportunidades que poderia haver possíveis fraudes no programa de ajuda. Quem tentou se aproveitar da situação de maneira fraudulenta poderá estar na mira da Polícia Federal e da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) que estão fazendo um mapeamento das pessoas que cometeram fraude durante o cadastro que começou na última terça-feira (7).

De acordo com a Caixa Econômica Federal, 31,5 milhões de brasileiros conseguiram terminar o cadastro até sexta-feira à noite e 135,6 milhões de mensagens foram enviadas por celular (SMS) confirmando o cadastro do auxílio emergencial.

O telefone 111, uma central exclusiva para tirar dúvidas e solicitar informações, recebeu até agora 8,6 milhões de ligações.

Veja quem tem direito ao auxílio emergencial

De acordo com o governo, o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 será realizado em três parcelas durante a crise do novo coronavírus (Covid-19) a autônomos, intermitentes inativos, trabalhadores informais e mulheres que cuidam sozinhas de suas famílias.

É preciso estar atento para alguns detalhes que podem impedir o recebimento.

Para ter direito, o trabalhador não pode receber nenhum tipo de aposentadoria, seguro-desemprego ou qualquer outra forma de ajuda do governo. Quem faz parte de algum programa de transferência de renda federal também não receberá, exceto aqueles que são cadastrados no Bolsa Família.

Além disso, alguns pré-requisitos também precisam ser cumpridos, como ter mais de 18 anos, não ter carteira assinada, a renda familiar deve ser de ½ até três Salários Mínimos e não pode ter recebido mais do que R$ 28.559,70 no ano passado.

MEI também tem direito ao auxílio emergencial

Entre aqueles que têm direito a receber o benefício, estão os MEIs (Microempreendedores individuais), desde que a renda familiar não ultrapasse a quantia de três salários mínimos.

De acordo com o Sebrae, cerca de 36% dos MEIs atendem aos critérios para receber o benefício. Hoje no Brasil existem 9,9 milhões de CNPJs cadastrados no MEI.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!