Milhões de brasileiros ainda apresentam grande dificuldade de receber o auxílio emergencial do Governo Federal, com os pedidos ainda em análise. De acordo com as informações passadas pelo Correio Braziliense, um total de 189.695 militares receberam o benefício, sendo pagos o total de R$ 114 milhões para os anistiados, reformados, pensionistas e militares da ativa.

Ao se ver diante de tal polêmica, o Ministério da Defesa decidiu se pronunciar sobre o fato, emitindo um comunicado afirmando que, no momento, estão sendo adotadas as medidas necessárias para que o ocorrido possa ser apurado, com o intuito de identificar se realmente houve valores que foram recebidos de forma indevida.

Ao ser procurada, a Caixa Econômica Federal informou que sua responsabilidade é apenas pagar o auxílio emergencial exposto pelo governo, aonde os dados dos cidadãos são processados pela Dataprev, seguindo as informações que são impostas pelo Ministério da Cidadania. Os últimos, por sua vez, optaram por esperar que suas áreas técnicas possam se pronunciar sobre o que fez permitir o recebimento de auxílio emergencial para os militares que não obtém o direito de se beneficiar com o auxílio.

A quantia de R$ 600, que será entregue para aqueles residentes do território brasileiro durante três meses, será destinado para a parte da população que se enquadra como trabalhadores desempregados, informais e autônomos e que tiveram a renda perdida devido ao isolamento social da pandemia do novo coronavírus.

O governo ainda decidiu ampliar aqueles que poderiam se beneficiar com o auxílio emergencial em questão, dando a oportunidade para outras categorias de trabalhadores prejudicados.

Exército é cobrado por hackers

Neste domingo (10), cerca de 200 mil trabalhadores militares viram seus dados pessoais sendo divulgados em uma conta criada no Twitter.

De acordo com o Digital Space, o ataque foi algo realizado como uma espécie de retaliação devido à postura e as declarações que o atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, que vem contrariando aquilo que é determinado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para combater a pandemia do novo coronavírus.

Na conta em questão, é exposto o nome completo de todos os militares, bem como seus respectivos e-mails, título de eleitor, dados bancários e, também, números de telefone. Se tratando de alguns casos, havia, também, informações mais sensíveis, como CPF, nome dos pais, estado civil, religião, nível de escolaridade, dentre outros.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!