A restrição da circulação de pessoas pelas ruas, medida adotada para conter o avanço do novo coronavírus, e o consequente fechamento de lojas, fez com que não apenas pessoas tivessem contato pela primeira vez com o e-commerce, mas também lojistas, que antes atendiam apenas de forma física, buscassem se inserir no meio digital para seguirem vendendo durante a quarentena. Isso também fez aumentar a procura por métodos de pagamento digital, inclusive para atender clientes que não possuem cartão de crédito ou sequer conta em banco.

Falando com exclusividade para a Blasting News, Ralf Germer, CEO e cofundador da PagBrasil, empresa especializada em pagamentos digitais, afirmou que consumidores que antes não eram tão propensos a realizar compras online fizeram disso um hábito, que deve seguir mesmo após o fim do isolamento social.

Ele cita uma pesquisa realizada pela NZN Intelligence, a qual aponta que 71% dos brasileiros disseram que pretendem aumentar o volume de compras pela internet.

Germer revela ainda que por conta do momento que o mundo atravessa, houve aumento na procura pelas soluções oferecidas pela PagBrasil. Além disso, foi verificado um crescimento no número de acessos no site da empresa feito por pessoas que buscam informações de como vender e receber online. “Notamos também a necessidade de lojistas se reinventarem e adotarem as vendas online de vez para seus negócios. Seja motivado pela pandemia, seja pela praticidade e comodidade que os consumidores desejam para suas compras”, analisa o CEO.

Confira a entrevista completa feita com Ralf Germer.

Blasting News: Como foi o processo de readequação dos funcionários da empresa nesse período de isolamento social? Parte deles passou a trabalhar de suas casas? Isso pode ser uma tendência após o fim da pandemia? Como tem sido feito o suporte aos clientes?

Ralf Germer: A PagBrasil já estava bem familiarizada com as rotinas de trabalho remoto, já que nossas equipes estão baseadas em Porto Alegre e Barcelona.

Além disso, todos os nossos funcionários foram equipados com os equipamentos e materiais necessários para trabalharem com conforto e eficiência em suas casas. Em razão disso, nossa equipe continuou trabalhando com a mesma eficiência e produtividade como se estivessem em seus escritórios.

Após o fim da pandemia, isso pode se tornar uma tendência em alguns casos.

Porém, vemos que o contato humano presencial facilita o intercâmbio de informações e treinamento de novos talentos.

Nossos clientes não notaram nenhuma diferença no suporte: todas as nossas ferramentas estão na nuvem, até mesmo a central de telefonia. Portanto, todos conseguem trabalhar sem limitações de qualquer lugar. A equipe da PagBrasil está fazendo um trabalho fantástico em casa, com a mesma qualidade que antes.

Com muitos estabelecimentos físicos impedidos de abrirem suas portas, o e-commerce ganhou mais visibilidade e muitas pessoas tiveram contato com ele pela primeira vez. Houve aumento na procura pelas soluções oferecidas pela PagBrasil por parte dos comerciantes? Como tem sido o contato com os novos clientes durante o período de isolamento social que estamos passando?

Sim, percebemos um aumento na procura de nossos serviços. Inclusive de empresas que operavam apenas fisicamente e agora desejam comercializar online. Além disso, notamos aumento no tráfego de nosso site, sinalizando que as empresas e empreendedores estão buscando mais informações e soluções para vender online. Por trabalharmos com clientes de todo o Brasil e em diversas partes do mundo, o contato remoto com cliente sempre fez parte das nossas rotinas. Procuramos atender a todos os nossos clientes com excelência, transparência e agilidade, mesmo à distância.

Ainda no e-commerce, com relação aos pagamentos feitos por meios eletrônicos, a empresa tem uma estimativa de quanto essa forma cresceu em comparação com o mesmo mês de 2019?

O e-commerce brasileiro tem observado um crescimento expressivo durante a pandemia. Dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) indicam um aumento de 30% nas vendas online durante as duas primeiras semanas de abril. Ainda, de acordo com uma pesquisa da NZN Intelligence, 71% dos brasileiros disseram que pretendem aumentar o volume de compras online. Além do aumento nos setores de higiene, alimentos e bebidas e remédios, também cresceu a procura por opções de games online, sites de relacionamento e serviços de streaming.

Ainda falando sobre o isolamento, muitos brasileiros que sequer possuem cartão de crédito ou conta em banco de repente viram no e-commerce a saída para adquirir produtos.

Existe ou está em processo de desenvolvimento alguma solução voltada para esse público?

A PagBrasil possui duas soluções exclusivas especialmente voltadas para atender as necessidades dos brasileiros que não possuem um cartão de crédito e a população desbancarizada, que hoje representa 45 milhões de brasileiros. Uma delas é o Boleto Flash, método exclusivo da PagBrasil, que pode ser pago em qualquer banco ou agência lotérica, sem necessidade de imprimir, e confirma o pagamento em menos de uma hora. Além de ser completamente responsivo para dispositivos móveis. Essa opção permite que o lojista flexibilize a data de pagamento da cobrança, estendendo a data de vencimento.

A outra é o PEC Flash, um método de pagamento em dinheiro pensado para o e-commerce.

Essa opção, disponibilizada com exclusividade pela PagBrasil, permite que o consumidor conclua a compra em qualquer uma das 13 mil agências lotéricas no Brasil. Ao optar por esse meio, o consumidor recebe um pequeno código da loja virtual. Em seguida, basta informar esse código e o CPF ao atendente da lotérica e realizar o pagamento, que é confirmado em instantes.

Quais lições a pandemia e o isolamento social trouxe para a PagBrasil. O momento que o mundo atravessa inspirou a empresa a criar novas soluções ou fazer alguma readequação/aperfeiçoamento nas que já existem?

O que percebemos é que o mercado e-commerce no Brasil já era muito bem desenvolvido antes da pandemia, mas o distanciamento social motivou usuários que antes não eram tão engajados a realizar compras online a tornar disso um hábito.

Com isso, acreditamos que esses hábitos devem permanecer mesmo após a retomada das atividades.

Notamos também a necessidade de lojistas se reinventarem e adotarem as vendas online de vez para seus negócios. Seja motivado pela pandemia, seja pela praticidade e comodidade que os consumidores desejam para suas compras. As redes sociais são um fator que impulsiona essa mudança, pois hoje as mídias estão muito interligadas e com poucos cliques uma simples navegada pelo Instagram vira uma compra na loja online.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Blasting Talks
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!