Nesta terça-feira (21), a Caixa Econômica Federal informou que mais de 3 milhões de pessoas deverão comprovar identidade para poder desbloquear o auxílio emergencial de R$ 600. Esses cadastros, segundo a Caixa, foram suspensos por suspeitas de fraudes. Dessa forma quem teve a conta bloqueada na conta digital deverá comparecer a uma agência da Caixa para comprovar identidade.

As contas foram suspensas por conter indícios de que foram criadas por hackers, afirmou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, em um evento promovido virtualmente pela InfoMoney. Guimarães disse ter provas de que a grande maioria das contas foi utilizada por hackers e que, infelizmente, acredita que várias pessoas honestas acabaram sendo penalizadas devido a medidas "mais fortes" de proteção ao dinheiro público.

Auxílio emergencial e desbloqueio de conta

Guimarães disse que o bloqueio foi feito em mais ou menos 3,26 milhões de contas, ou seja, em uma porcentagem inferior a 5% do total de 65,2 milhões. Porém, aqueles que chegarem a agência e fizerem a comprovação da identidade terão a conta desbloqueada imediatamente. Mas, se a pessoa não comparecer à agência, esta ficará sem receber o auxílio.

O presidente da Caixa ainda adiantou um pedido de desculpas pela maneira rígida, mas disse que tal ação visa impossibilitar que bandidos continuem recebendo o dinheiro público destinado a pessoas de bem.

A Caixa Econômica Federal ressalta que todos os clientes devem sanar irregularidades indo diretamente a uma de suas agências munido de documentação comprobatória.

Orientações da Caixa para proteção de dados pessoais

As orientações é de que os cidadãos utilizem apenas os aplicativos oficiais da Caixa que não devem ser jamais compartilhados com terceiros.

Segundo a CEF, muitos dos dados pessoais podem ser colhidos nos bancos de dados de outros sites construídos pela engenharia social de terceiros e garante que uma vez criada a conta nos aplicativos oficiais da Caixa, estás passam a serem monitoradas regularmente para em caso de suspeitas seja realizado o bloqueio preventivo imediato para proteger seus clientes, inclusive os que recebem o auxílio emergencial do governo.

O que deu início a fraude do auxílio emergencial

O cerne da fraude iniciou quando a Caixa permitiu que mais de uma pessoa usasse o mesmo celular para se cadastrar no auxílio emergencial, visto que nem todas as pessoas possuem celulares.

Diante das milhares de fraudes, a Polícia Federal foi acionada e já está investigando as irregularidades identificadas.

Guimarães afirmou que muitos dos responsáveis pelas fraudes já foram identificados e serão penalizados por seus erros. Apesar dos cadastrados fraudulentos, a Caixa publicou uma nota onde ressalta a integridade da segurança do aplicativo da instituição que se mantém inviolável.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!