Anúncio
Anúncio

Principal destaque da goleada de 4 a 0 sobre o Americano na noite de quinta, em Bacaxá, distrito de Saquarema, o atacante Yony Gonzalez deixou o gramado do Elcyr Resende com uma proteção na coxa esquerda. Além dele, o zagueiro Roger Ibañez se queixou de dores na região pubiana. Em entrevista concedida após o jogo, o técnico Fernando Diniz, porém, tranquilizou a torcida do Fluminense e disse que ambos não serão problemas para a sequência da temporada. "O Ibañez tem dores pubianas que o acompanham faz tempo. O Yony sentiu essa dor tem uns dois dias. Tiramos eles para poupar. Não preocupam", disse.

Outro que chamou a atenção foi Daniel. O comandante tricolor não poupou elogios ao meia, contudo, pensando no restante do ano, voltou a falar sobre a necessidade de se buscar mais um apoiador no mercado.

Anúncio

"Daniel foi bem, mas pode oscilar. Precisamos ter jogadores para ter substituição. A temporada é muito grande. Sempre tem de qualificar o elenco. Bom jogador é bem-vindo", acrescentou.

Com quatro pontos e em segundo lugar no Grupo C, o Fluminense volta a atuar pelo Campeonato Carioca no domingo, às 17h (de Brasília), encarando, no Maracanã, a Portuguesa-RJ. Nesse compromisso, a agremiação das Laranjeiras estreará o seu terceiro uniforme, a camisa azul. Os ingressos para essa partida já estão à venda tanto para os sócios quanto os torcedores comuns.

Clube promove Assembleia Geral para modificar estatuto e antecipar eleições presidenciais

O final de semana será importante para o Fluminense também fora das quatro linhas.

Anúncio

No sábado, das 9 às 18h (de Brasília), o clube carioca, na tradicional sede de Álvaro Chaves, promoverá uma Assembleia Geral Extraordinária com a intenção de promover uma mudança no Estatuto e antecipar as eleições para presidente do Tricolor.

A princípio, o sucessor de Pedro Abad será definido em novembro, mas, caso a Assembleia, destinada exclusivamente aos sócios do clube das Laranjeiras, decida pela antecipação, o pleito acontecerá, muito provavelmente, no início de março.

Recentemente, a sócia Letícia Tavares Gomes buscou, em duas ações judiciais, cancelar a Assembleia Geral, alegando que, se as eleições ocorressem antes do previsto, teria menos de um ano de associação e, dessa forma, perderia o direito de voto. As tentativas não surtiram efeito, mas ainda há o risco de novas medidas judiciais para se manter o pleito no final de novembro.

Anúncio