O incêndio no Ninho do Urubu, localizado em Vargem Grande, zona oeste do Rio, pode gerar mais transtornos ao Flamengo e também atingir a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Segundo reportagem da versão eletrônica da revista Veja, especialistas em Direito acreditam que o clube e o órgão municipal correm o risco de ter que responder por conta da tragédia ocorrida na madrugada da última sexta.

De acordo com Daniel Falcão, a idade mínima para qualquer jogador assinar um contrato profissional é de 16 anos, mas a agremiação de futebol tem a obrigação de firmar um vínculo de formação com toda a sua categoria de base, conforme previsto na Lei Pelé, o que assegura, pelo menos a indenização aos familiares.

Publicidade
Publicidade

Sócio do Rayes & Fagundes Advogados, Eduardo Vital Chaves lembrou ainda que o artigo 45 da própria Lei Pelé obriga o clube formador é obrigado a fornecer seguro de vida e de acidentes pessoais. O jurista também acusou a Prefeitura, dizendo que ela poderia ter mandado fiscais vistoriarem o local, conforme acontece com qualquer construção ou local onde é necessária uma licença de funcionamento.

O incêndio no Ninho do Urubu causou a morte de dez jogadores que faziam parte das categorias Sub-15 e Sub-17 do Flamengo.

Outros três atletas ficaram feridos e foram imediatamente hospitalizados. Dois deles já se encontram fora de risco. Até o momento, não há a divulgação, por parte da perícia policial, o que provocou a tragédia no CT do Rubro-Negro.

Oração e conversa marcam reapresentação do elenco profissional

Visivelmente abalados com tudo que aconteceu, o elenco profissional do Flamengo se reapresentou na manhã deste sábado no Ninho do Urubu e deu continuidade aos seus preparativos para o clássico de quinta, às 20h30 (de Brasília), no Maracanã, diante do Fluminense, válido pelas semifinais da Taça Guanabara, segunda fase do Campeonato Carioca.

Publicidade

Não houve trabalho com bola. Inicialmente, todos fizeram uma oração. Em seguida, os jogadores ouviram um emocionado pronunciamento do técnico Abel Braga, que lembrou do falecimento do filho João Pedro, em 2017, quando o atual comandante rubro-negro dirigia o Fluminense. Para encerrar, o grupo se dirigiu à academia do CT para um trabalho físico.

O Flamengo só volta a treinar na segunda. Por ter campanha superior ao Flu na fase de classificação, a equipe da Gávea avança até a decisão da Taça Guanabara com um simples empate.

Leia tudo