No último dia 26 de janeiro, houve uma Assembleia Geral na sede das Laranjeiras e definiu-se pela antecipação das Eleições presidenciais do Fluminense, anteriormente previstas para novembro. Desde então, os tricolores aguardam pela nova data e, ao que tudo indica, a espera está perto do fim. Nos bastidores, o atual mandatário do clube, Pedro Abad, vem acertando os últimos detalhes para que o pleito ocorra no final de março, muito provavelmente no dia 30.

Para convocar eleições, Abad necessitava do registro da ata da Assembleia, com as alterações no Estatuto, em cartório, o que já aconteceu. Ultrapassada essa etapa, ele irá se reunir com o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando César Leite, para definir toda a programação. A expectativa é de uma definição sobre o assunto nos próximos dias.

Diante da incerteza das eleições, ainda não há candidatura oficializada.

Uma delas virá do Triunvirato formado por Mário Bittencourt, Celso Barros e Ricardo Tenório. Outro potencial nome, Pedro Antônio, ex-vice de projetos especiais, anunciou, por intermédio de carta, o seu afastamento do pleito. Principal grupo da situação, a FluSócio também não apresentará indicação.

Equipe se prepara para 'maratona de jogos'

O Fluminense também tem suas preocupações dentro das quatro linhas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Eleições

Vindo de dois empates --0 a 0 com o Deportivo Antofagasta, do Chile, e 1 a 1 com o Resende--, o Tricolor se prepara para uma "maratona de jogos" entre Campeonato Carioca, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana.

O martírio começa já na Quarta-Feira de Cinzas. Pela segunda fase da Copa do Brasil, o Flu enfrenta, a partir das 21h30 (de Brasília), o Ypiranga-RS. No domingo que vem, a partir das 16h (de Brasília), o desafio será a Cabofriense.

Para amenizar a tarefa da agremiação verde, branco e grená, os dois compromissos acontecem no Maracanã.

O técnico Fernando Diniz lamenta o pouco tempo que terá para treinar a equipe, mas confia em seu elenco para superar todas as futuras dificuldades.

"Quando você não repete a equipe, perde um pouco em entrosamento. A gente tem pouco tempo para treinar. Os jogadores são treinados para entrar e corresponder", explicou o comandante.

Pela Copa Sul-Americana, o Fluminense só volta a campo no próximo dia 21 de março, lá no Chile, contra o Deportivo Antofagasta. Em abril, o Tricolor estreia no Campeonato Brasileiro. No Rio, encara o Goiás, um dos que subiu da Série B.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo