A grande polêmica da abertura das quartas de final do Campeonato Paulista aconteceu no duelo entre Grêmio Novorizontino e Palmeiras, disputado na tarde de sábado (23), no estádio Jorge Ismael De Biasi, em Novo Horizonte.

A discussão se deu em torno do início da jogada que culminou no gol marcado pelo time da casa, onde os palmeirenses reclama de toque de mão do jogador do Novorizontino. Após a conclusão da jogada, o árbitro de vídeo foi acionado e, para revolta dos alviverdes, o lance foi validado.

Publicidade
Publicidade

Em sua conta oficial no Twitter, o Palmeiras reclamou questionando a existência da tecnologia no campeonato. “Pra que o VAR da Federação Paulista de Futebol? Para o Palmeiras não existe!”, escreveu o perfil oficial do clube.

A Federação Paulista não deixou por menos e defendeu a decisão de sua equipe de arbitragem afirmando que após a checagem de todos os lances da jogada, o gol foi legal. Isso foi a deixa para os palmeirenses voltarem à carga contra a FPF e usarem uma expressão que ficou famosa no Paulistão de 2018.

Publicidade

“Federação Paulista defende o indefensável. É a mesma postura do Paulistinha do ano passado”, escreveu.

Mais tarde, após o goleiro Fernando Prass defender uma cobrança de pênalti, assinalada usando a tecnologia, o perfil do palmeirense voltou a usar da ironia para atacar a tecnologia. “Mesmo com VAR só para um dos lados, Fernando Prass colocou mais um pênalti defendido na sua conta”, postou.

Palmeirense, presidente do TJD defende o uso da tecnologia

Nesta segunda-feira (25), foi a vez do presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, Antônio Olim, rebater as declarações dos palmeirenses.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Palmeiras

Falando ao canal Fox Sports, ele defendeu o uso da tecnologia na fase final do Paulistão e ainda criticou a postura do clube. “O juiz estava certo, mas cada um tem sua opinião”, disse. “Desculpa, isso é uma vergonha para o Palmeiras, vamos ganhar na bola, vamos parar de chorar”, disparou.

Olim também fez críticas diretas ao presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, afirmando que o mandatário “pensa num mundinho pequeno”. O presidente do TJD ainda falou que é torcedor do Palmeiras, mas que não tem culpa que o clube segue se queixando da decisão do ano passado.

"Vamos ganhar no campo e com futebol bom”, falou.

Palmeiras e Grêmio Novorizontino voltam a se enfrentar nesta terça-feira (26), no estádio do Pacaembu. Uma vitória simples serve para qualquer um dos clubes enquanto que um novo empate levará a decisão da vaga para as penalidades.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo