Os bastidores seguem efervescendo no Fluminense. Segundo reportagem do portal Globoesporte desta sexta-feira, no começo da semana que vem, a sócia Letícia Tavares Gomes ingressará na Justiça com um pedido de cancelamento das próximas Eleições presidenciais do clube, marcada para o dia 08 de junho, nas Laranjeiras.

Publicidade
Publicidade

Em sua petição, a associada alegará ter tido os seus direitos violados por conta da antecipação do pleito, inicialmente marcado para o final de novembro.

Advogado de Letícia no caso, Bruno Augusto Souza Freitas disse que estava aguardando a definição da data da votação para entrar na Justiça. De acordo com o jurista, o edital das novas eleições, publicado na última segunda, é uma ameaça ao direito de voto de sua cliente e que não haverá qualquer tipo de prejuízo ao Fluminense.

Fluminense pode viver novo processo judicial. (Arquivo Blasting News)
Fluminense pode viver novo processo judicial. (Arquivo Blasting News)

"O Fluminense não terá prejuízo caso a nossa solicitação seja atendida. Quem esperou tanto espera mais três meses e realiza a eleição em novembro", disse o advogado.

Em janeiro, Letícia já havia ingressado na Justiça. Naquela ocasião, ela buscou, sem sucesso, impedir a Assembleia Geral Extraordinária do dia 26 daquele mesmo mês, quando se decidiu pela antecipação das eleições.

Sócio também entra com ação

Há uma outra ação na Justiça que trata do tema.

Publicidade

O processo foi aberto pelo sócio Igor Valois, mas, nesse caso, pede que o associado tenha mantido o direito a voto, mas não deseja o cancelamento das eleições, conforme dito pelo próprio autor da petição ao portal NetFlu.

"Não peço pra suspender nada. Nem indenização. Estou pedindo apenas para votar. O fundamento principal da ação é a aplicação da “Teoria da Perda de uma Chance”, importada do Direito Francês e com ampla aceitação na doutrina e jurisprudência brasileira", explicou Igor Valois.

Por enquanto, Ayrton Xerez foi o único a oficializar a sua candidatura, mas ele pode abdicar da disputa em prol de Ricardo Tenório, que, até pouco tempo, era aliado de Mário Bittencourt, outro possível candidato, este tendo, como parceiro, Celso Barros e apoiado pelo grupo político Associação Nacional Tricolor de Coração.

Enquanto isso, dentro de campo, o Fluminense, após garantir vaga nas oitavas-de-final da Copa do Brasil, derrotando, nos pênaltis, o Santa Cruz, volta as suas atenções para a partida de estreia no Campeonato Brasileiro.

Publicidade

No domingo, a partir das 19 horas (de Brasília), no Maracanã, o Tricolor das Laranjeiras encara o Goiás. Nesse confronto, depois de liberação do Batalhão Especial de Policiamento em Estádios (BEPE), haverá uma festa promovida por um grupo de torcedores denominado "Mobilização Tricolor" com direito à distribuição de mil bandeiras ao longo das arquibancadas do estádio.

Leia tudo