O Campeonato Brasileiro 2019 estreou no último sábado (27), com novas regras e a utilização do VAR em todas as partidas. Logo na primeira rodada, os assistentes de vídeo influenciaram os resultados das partidas, e com isso, a polêmica sobre o uso da nova tecnologia não podia ficar de fora. Em dois dos quatros jogos, os árbitros de vídeos ficaram quase invisíveis durante a partida, já nas outras duas partidas, a novidade deu o que falar entre os clubes e torcedores.

Na disputa entre São Paulo e Botafogo, na qual o resultado terminou em 2 a 0 para o time paulista, o VAR não teve nenhuma interferência no resultado, a única consulta realizada durou cinco segundos depois que um jogador do Botafogo reclamou de empurrão que praticamente ninguém viu, mas rapidamente o juiz liberou que o escanteio fosse cobrado pela equipe carioca.

No Maracanã, o Flamengo venceu o Cruzeiro por 3 a 1 e em nenhum momento o VAR foi utilizado.

Decisões do VAR

Já no confronto entre Chapecoense e Internacional, na Arena Condá, o acionamento do VAR resultou em discussão e foi determinante no placar da partida, assim como aconteceu também em Belo Horizonte entre Atlético-Mineiro e Avaí. Na Arena Condá, a cena mais impactante da partida ocorreu aos 42 minutos da primeira etapa. O jogador Emerson Santos tocou suavemente com a mão na bola dentro da área, mas o árbitro não marcou pênalti. Passado cerca de um minuto e meio após autorizar o escanteio, ele decidiu ir até a cabine à beira do gramado para analisar a jogada. Em seguida, retornou ao campo apontando pênalti a favor do time mandante, que resultou no primeiro gol da partida.

A partida terminou em 2 a 0 para o time de Chapecó.

Em Minas Gerais, o Avaí em duas chances balançou as redes do clube mineiro no estádio da Independência. Na primeira vez, o árbitro decidiu anular o lance ao assinar impedimento do jogador Brizuela. Porém, o atacante estava em posição legal. O VAR foi quem apontou a situação ao árbitro em campo. Em seguida, o zagueiro Betão, marcou o gol para o Avaí em um jogada de escanteio, mas o problema é que houve o toque de mão do jogador na bola.

Segundo a nova regra do Brasileirão 2019, a inflação será marcada, mesmo que a situação ocorra de forma involuntária. No fim do jogo, Betão foi exigir satisfação com a arbitragem, alegando que não tocou a bola com as mãos, e após o excesso de reclamações, o zagueiro recebeu cartão amarelo.

Em entrevista ao UOL, o jogador mostrou-se indignado com a decisão da arbitragem em receber o cartão e alegou que a bola bateu em sua coxa e entrou para o gol.

Segundo o zagueiro, o árbitro, ao ser questionado, respondeu que não sabia e que foram os assistentes de vídeo quem sinalizaram o toque. A partida terminou em 2 a 1 para o Atlético Mineiro.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Brasileirão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!