O Campeonato Brasileiro 2019 estreou no último sábado (27), com novas regras e a utilização do VAR em todas as partidas. Logo na primeira rodada, os assistentes de vídeo influenciaram os resultados das partidas, e com isso, a polêmica sobre o uso da nova tecnologia não podia ficar de fora. Em dois dos quatros jogos, os árbitros de vídeos ficaram quase invisíveis durante a partida, já nas outras duas partidas, a novidade deu o que falar entre os clubes e torcedores.

Publicidade
Publicidade

Na disputa entre São Paulo e Botafogo, na qual o resultado terminou em 2 a 0 para o time paulista, o VAR não teve nenhuma interferência no resultado, a única consulta realizada durou cinco segundos depois que um jogador do Botafogo reclamou de empurrão que praticamente ninguém viu, mas rapidamente o juiz liberou que o escanteio fosse cobrado pela equipe carioca. No Maracanã, o Flamengo venceu o Cruzeiro por 3 a 1 e em nenhum momento o VAR foi utilizado.

VAR causa polêmica na primeira rodada do Brasileirão. (Arquivo Blasting News)
VAR causa polêmica na primeira rodada do Brasileirão. (Arquivo Blasting News)

Decisões do VAR

Já no confronto entre Chapecoense e Internacional, na Arena Condá, o acionamento do VAR resultou em discussão e foi determinante no placar da partida, assim como aconteceu também em Belo Horizonte entre Atlético-Mineiro e Avaí. Na Arena Condá, a cena mais impactante da partida ocorreu aos 42 minutos da primeira etapa. O jogador Emerson Santos tocou suavemente com a mão na bola dentro da área, mas o árbitro não marcou pênalti. Passado cerca de um minuto e meio após autorizar o escanteio, ele decidiu ir até a cabine à beira do gramado para analisar a jogada.

Publicidade

Em seguida, retornou ao campo apontando pênalti a favor do time mandante, que resultou no primeiro gol da partida. A partida terminou em 2 a 0 para o time de Chapecó.

Em Minas Gerais, o Avaí em duas chances balançou as redes do clube mineiro no estádio da Independência. Na primeira vez, o árbitro decidiu anular o lance ao assinar impedimento do jogador Brizuela. Porém, o atacante estava em posição legal. O VAR foi quem apontou a situação ao árbitro em campo.

Em seguida, o zagueiro Betão, marcou o gol para o Avaí em um jogada de escanteio, mas o problema é que houve o toque de mão do jogador na bola. Segundo a nova regra do Brasileirão 2019, a inflação será marcada, mesmo que a situação ocorra de forma involuntária. No fim do jogo, Betão foi exigir satisfação com a arbitragem, alegando que não tocou a bola com as mãos, e após o excesso de reclamações, o zagueiro recebeu cartão amarelo.

Em entrevista ao UOL, o jogador mostrou-se indignado com a decisão da arbitragem em receber o cartão e alegou que a bola bateu em sua coxa e entrou para o gol.

Publicidade

Segundo o zagueiro, o árbitro, ao ser questionado, respondeu que não sabia e que foram os assistentes de vídeo quem sinalizaram o toque. A partida terminou em 2 a 1 para o Atlético Mineiro.

Leia tudo e assista ao vídeo