Bicampeão da Copa do Brasil, treinador mais longevo da Série A, mas um trabalho que, em 2019, insiste em não engrenar. O Cruzeiro de Mano Menezes começou muito bem 2019, sendo tido como um dos melhores times do país, além de favorito na Taça Libertadores da América.

O trabalho, entretanto, definhou com o passar dos meses, e a confiança da torcida se viu posta à prova sobre o técnico gaúcho. Chamado muitas vezes de "retranqueiro" por optar por uma equipe disposta com uma defesa segura, Mano Menezes não tem conseguido êxito nem mesmo em levar poucos gols.

Sem vencer há dez partidas no Campeonato Brasileiro, amargando a zona de rebaixamento, eliminação recente na Libertadores para o River Plate e diante de um confronto decisivo contra o Internacional na Copa do Brasil fizeram o treinador gaúcho colocar o cargo à disposição após a derrota no clássico para o Atlético-MG, neste domingo (4), por 2 a 0.

'Momento não é bom', admitiu Mano

O técnico abriu a coletiva de imprensa após a partida sendo franco quanto a situação da equipe celeste no Campeonato Brasileiro, e não botou qualquer tipo de entrave para sua permanência no comando técnico cruzeirense.

Deixando o cargo em aberto, Mano admiriu o mau momento da equipe. "Sei que o momento não é bom", reconheceu o treinador. "Não quero ser empecilho para a recuperação do Cruzeiro", completou o técnico que completou recentemente três anos seguidos no comando do Cruzeiro.

Na 17ª colocação do Campeonato Brasileiro, e com o aproximar da reta final do primeiro turno, o alerta vermelho foi aceso na Toca da Raposa.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Futebol Cruzeiro

Tanto a diretoria do clube, como também o próprio Mano, admitiu a preocupação com a situação da equipe no campeonato, mas fez questão de querer fazer parte da recuperação da Raposa no torneio.

Início ruim

De acordo com Mano Menezes, o fato de o Cruzeiro ter iniciado muito mal a corrida pelo título nacional dificultou algumas tomadas de decisões importantes para a sequência do campeonato. O número grande de jogos recentes também teria atrapalhado a Raposa, que acumulou resultados negativos que acabaram abalando a confiança da equipe.

De acordo com Mano, seu pecado foi tentar algumas coisas diferentes do que costuma fazer (e foi, inclusive, criticado por isso). O gol não saía, e não sofrer gols se torna ainda mais necessário em uma situação adversa como a seca de gols marcados.

O treinador, no entanto, ressaltou que confia na recuperação do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro, e que acredita em uma virada de chave na Toca da Raposa, para que a equipe, enfim, decole.

O próximo compromisso do Cruzeiro é contra a equipe do Avaí, na Ressacada, em Florianópolis, no próximo domingo (11).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo