O ano de 2020 foi totalmente atípico. Lições foram aprendidas e continuarão sendo nessa reta final. Com a pandemia, o isolamento social e a importância do meio digital, ficou ainda mais claro como é importante, antes de tudo, estar preparado. A atenção às tendências torna-se essencial, portanto, para contornar as imprevisibilidades, como foi o caso da crise sanitária vivida atualmente.

Uma dessas tendências é o marketing digital, que, em constante crescimento, serviu como solução para muitas empresas. Por conta disso, o investimento na área cresceu muito durante a pandemia. "O marketing digital cresce acima de 20% desde 2014, com a pandemia o que ocorreu foi uma explosão do digital, mostrando que é necessário todo negócio estar na internet", destaca César Marcondes, diretor executivo da Distrito Digital, em entrevista exclusiva à BlastingTalks.

Atualmente à frente da Distrito Digital, franquia especializada em Marketing Digital, Marcondes enxerga no pós-pandemia um investimento contínuo no meio digital, tornando-se uma tendência entre as empresas. "Acredito que no pós-pandemia surgirão ainda mais soluções que evitem o contato físico, com uma maior exposição da empresa nas redes sociais e na internet", afirma.

Confira a entrevista na íntegra.

Blasting News: Neste período de crise no Brasil, quais são as vantagens de investir em uma microfranquia?

César Marcondes: As vantagens de investir numa microfranquia são a capacidade de ter todo o suporte necessário para iniciar um negócio, o uso de metodologia e ferramentas já testadas pelo franqueado, minimizando assim os riscos do negócio.

Além disso, o franqueado conta com uma rede rica de relacionamento entre os empreendedores, possibilitando assim um crescimento mais rápido.

A Distrito Digital lançou recentemente um modelo de negócio muito mais acessível para quem quer começar a empreender. O novo serviço lançado é destinado a qual tipo de público?

Como é feito o investimento e quais as perspectivas de retorno do valor investido?

O novo modelo de negócio é destinado para pessoas que buscam um negócio na prestação de serviços ou no marketing digital, mas que não possuem de muito capital ou de uma tempo longo para iniciar a operação. Dessa forma, através de serviços pré-prontos e de uma plataforma de guia comercial com recursos como ofertas, classificados e WhatsApp, o franqueado começa a operar um negócio validado em um curto espaço de tempo.

O retorno do investimento é previsto entre 3 a 9 meses, dependendo da capacidade do franqueado e da adoção de estratégias sugeridas pela franqueadora.

Quais as expectativas a curto, médio e longo prazo para a Distrito Digital com o lançamento do projeto de microfranquia? E o que futuro franqueado pode esperar?

Nossa expectativa a longo prazo é ter mais serviços e produtos inovadores para nossos clientes, principalmente com o novo aplicativo que está sendo desenvolvido e novas parcerias que estão sendo realizadas. Dessa forma, o objetivo é consolidar o Distrito Digital como especialista em marketing digital local. O franqueado pode contar com a inovação e o suporte cada vez melhor na rede, visando termos cada vez mais um negócio seguro e com ótima rentabilidade.

Com o boom recente do marketing digital no Brasil, como você vê o meio para novos Negócios na área?

O marketing digital cresce acima de 20% desde 2014. Com a pandemia, o que ocorreu foi uma explosão do digital, mostrando que é necessário todo negócio estar na internet. A Distrito Digital vem acompanhando este crescimento e busca por empreendedores ávidos por tecnologia, inovação e comprometimento para levar nossas soluções por todo Brasil.

Como você enxerga o cenário pós-pandemia para a recuperação das micro e pequenas empresas e de que forma o marketing digital pode ser um aliado nesse processo?

O digital já tem sido um aliado como o uso de menu digital, aplicativos de delivery, crescente uso do WhatsApp.

Acredito que no pós-pandemia surgirão ainda mais soluções que evitem o contato físico, com uma maior exposição da empresa nas redes sociais e na internet. Para isso é fundamental que o empresário invista com profissionais e busque sempre ajuda.

Você vê o mercado das microfranquias como uma alternativa de investimento no pós-pandemia, pensando, sobretudo, no baixo valor inicial necessário para começar? De que forma isso pode ser vantajoso para alguém que deixou o mercado de trabalho recentemente, por exemplo, em virtude do desemprego?

Sim, enxergo a microfranquia como uma excelente solução para pessoas que buscam uma oportunidade de negócio, independentemente se perderam o emprego ou não. Costumo falar que franquia não é sinônimo de sucesso, o franqueado precisa estar muito bem alinhado com a franqueadora para que seu negócio perpetue.

Muitas pessoas que desejam empreender, mas por medo ou acomodação, continuam trabalhando. A microfranquia será um grande motivo para que o empreendedorismo cresça muito no Brasil nos próximos anos.

A partir da sua perspectiva diante do mercado, quais dicas você daria para quem deseja ingressar no mercado de microfranquias, principalmente focado no marketing digital?

Acredito que o principal ponto é analisar a experiência da franqueadora, se ela realmente vive do marketing digital ou se vive de vender franquia. Se a franqueadora realmente atua com marketing digital, possui clientes, faz treinamentos e possui soluções próprias, é considerado seguro. Outro ponto é analisar o fundador da rede e os franqueados atuais e ex-franqueados, afinal de contas, franquia é um negócio sério.

Siga a página Negócios
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!