Principal contratação do Fluminense na atual temporada, Paulo Henrique Ganso usou, na vitória de 2 a 1 da agremiação carioca sobre o Grêmio no domingo (29), em partida disputada no Maracanã, válida pelo Campeonato Brasileiro, a braçadeira de capitão, aproveitando o fato de Digão, que vinha exercendo o posto, estar cumprindo suspensão. Esse episódio mostra, ainda mais, o prestígio pelo qual o camisa 10 goza nas Laranjeiras, mesmo após os episódios da última quinta (empate de 1 a 1 diante do Santos), os quais culminaram, na sexta, com a saída do técnico Oswaldo de Oliveira.

Apesar de ter recebido uma multa da diretoria por conta de um ato de indisciplina contra o ex-treinador, Ganso, durante a partida do final de semana, mostrou-se extremamente à vontade dentro de campo. Mais que isso. Buscou, a todo momento, cumprir algo esperado por todos desde a sua chegada nas Laranjeiras, o de líder do grupo. Tamanho desempenho acabou tendo o seu reconhecimento por parte da torcida, que, ao fim da partida, gritou o nome do apoiador.

Apesar de não ter participação direta nos lances dos gols contra o Grêmio, marcados por Nenê e Caio Henrique (Patrick descontou para os gaúchos), Paulo Henrique Ganso, ao contrário da era Oswaldo de Oliveira, quando foi substituído em cinco dos sete jogos do antigo comandante, atuou durante todo os mais de noventa minutos.

Responsável por dirigir a equipe no domingo, o auxiliar-permanente Marcão também fez questão de exaltar o papel do meia.

"Ganso tem total consciência de tudo o que aconteceu e da responsabilidade que estava em suas costas. Conversamos. Conversa leve, sincera e transparente. Que precisaríamos dele. Ele se colocou à disposição da gente e da instituição. Dentro de campo respondeu muito bem, fez grande partida. Foi o Ganso que queremos. Com responsabilidade, comprometido", resumiu o treinador interino.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Futebol PaixãoPorFutebol

Luís Felipe Scolari recusa proposta do Fluminense

Procurado para substituir Oswaldo de Oliveira, Luís Felipe Scolari, segundo o portal Yahoo informou no final da noite deste domingo, que recusou a oferta para ser o novo treinador o Fluminense. O responsável por comandar a Seleção Brasileira no pentacempeonato mundial (2002) e do título do Palmeiras no Brasileirão do ano passado disse ainda que só voltará aos trabalhos em 2020.

Antes do Flu, Felipão também foi procurado pela diretoria do Cruzeiro, que acabou acertando com Abel Braga, treinador de passagens vitoriosas pelas Laranjeiras.

Continuando a sua busca por um novo técnico, o Fluminense deverá investir em profissionais da nova geração. Nesse perfil, Zé Ricardo, recém-saído do Fortaleza, e Lisca, desempregado, surgem como possibilidades. Outra alternativa bem vista dentro das Laranjeiras é efetivar o auxiliar-permanente Marcão no cargo. Enquanto isso, o Tricolor, que, após vencer o Grêmio, chegou aos 22 e se manteve no 16º lugar na classificação, volta a atuar pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, às 16 horas (de Brasília), encarando, no Nilton Santos, o clássico carioca diante do Botafogo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo