Desde que assumiu a presidência do Fluminense, no último mês de junho, Mário Bittencourt estabeleceu como prioridade "zero" acertar a grave situação financeira e, ao longo dos seus 180 dias de gestão, quitou nove folhas salariais da CLT, todo o 13º de 2018, 50% do referente a 2019 e os direitos de imagem, que apenas alguns atletas recebem. Por conta disso, a diretoria faz uma projeção positiva para a próxima temporada.

O otimismo quanto a 2020 também se deve ao fato de o Flu, recentemente, conseguir um acordo que possibilitou o pagamento de antigos débitos fiscais e o abatimento do PROFUT. Paralelamente, segue buscando um consenso junto à Justiça de Trabalho com o intuito de aumentar o Ato Trabalhista e com outros credores.

Uma segunda linha de acordo tentado pelo clube é a liberação de verbas do contrato com a Globo pelas cotas de televisão. Com isso, o Fluminense visa, dentro do possível, crescer a arrecadação, a fim de encerrar os bloqueios que se incidem no dinheiro da TV. Assim, o clube tenta ganhar um valor mais alto. Essa mesma estratégia foi usada no acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

Outra medida de combate ao prejuízo financeiro são aumentar o sócio-torcedor. Para isso, em 2020 serão lançados novos planos de adesão. Lembrando que, nesse ano, apesar de os atuais planos não terem sofrido qualquer grande mudança, houve um crescimento no número de sócios inscritos.

O anúncio do tão sonhado patrocinador master é a última ação da diretoria para aliviar os cofres do Fluminense.

Mesmo sabendo que os problemas continuarão, a expectativa é de um ano literalmente novo na sede das Laranjeiras.

Odair despista sobre escalar Ganso e Nenê

No início de 2019, o Fluminense, ainda sob a gestão Pedro Abad, contratou Paulo Henrique Ganso. No segundo semestre, já com Mário Bittencourt na presidência, trouxe Nenê.

Desde então, ambos atuaram juntos algumas vezes como titulares e a equipe das Laranjeiras obteve bons resultados em poucas partidas. Durante a sua apresentação na última quinta-feira, o técnico Odair Hellmann, ao ser questionado se os dois meias estariam no próximo time-base do Tricolor, disse que, antes de qualquer decisão,, precisa analisar melhor o elenco.

“Qualquer análise neste momento é de quem estava fora do contexto. Quando eu me apresentar, poderei analisar melhor Nenê, Ganso e todos os jogadores”, disse.

Nenê disputou 28 partidas com o Fluminense e marcou três gols. Tem contrato até o final de 2020. Já Ganso, cujo vínculo se encerra apenas em 2024, vestiu a camisa da agremiação verde, branco e grená ao longo de 45 jogos, assinalando cinco gols.

A reapresentação do Fluminense acontece na primeira semana de janeiro. No mesmo mês, dia 22, a agremiação das Laranjeiras inicia a sua participação no Campeonato Carioca, enfrentando, no Elcyr Resende, em Bacaxá, distrito de Saquarema, a Cabofriense

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Fluminense
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!