Um caso surpreendente aconteceu no Maranhão. Um grupo de meninos, moradores de Presidente Dutra, que fica a 307 quilômetros da capital São Luís, procuraram a delegacia da cidade nesta quinta-feira (9) para dar queixa de uma vizinha depois de ela tomar a bola das crianças por ter batido em seu portão.

Os meninos, indignados com a injustiça cometida pela vizinha, foram à delegacia pedir providências. Segundo o delegado de plantão, César Ferro, os meninos pediram que ele fosse pegar a bola deles de volta.

Cesar Ferro disse em entrevista ao portal G1 que ficou impressionado com a atitude e ressaltou que os garotos pediram para que eles tomassem providências, pois a vizinha havia se apropriado de algo que não era dela. Ele ainda destacou que foi muito inusitado, pois nunca nenhuma criança havia buscado ajuda para resolver esse tipo de problema.

O delegado contou que perguntou sobre o estado geral da bola e os meninos disseram que ela estava bem velha e murcha. Vendo a situação das crianças, Cesar e sua equipe fizeram uma vaquinha e compraram uma bola nova para os garotos e eles voltaram a jogar.

Cesar Ferro ainda finalizou dizendo ter pedido para que eles avisassem a vizinha de que caso ela pegasse novamente a bola, ela seria chamada na delegacia.

Criança morre ao ser atingida por portão

Enquanto a história desse grupo de amigos acabou com risadas e um presente, outra criança teve a vida interrompida.

Também na quinta-feira (9), uma criança de oito anos morreu em Palmares do Sul (RS). O garoto e sua família estavam de férias na casa de alguns amigos da família.

O garoto foi atingido por um portão que caiu em cima dele. Ele teve traumatismo craniano. A Polícia ainda não sabe exatamente como o acidente aconteceu, mas a hipótese mais provável é de que o portão tenha saído do trilho e atingido o menino.

A criança chegou a ser socorrida. A família chamou a ambulância do Samu, que levou o garoto para a base médica e tentou reanimá-lo por mais de uma hora, mas ele não resistiu e acabou falecendo.

Os pais do menino são da Polícia Militar de Lajeado. A mãe é a soldado Daiane Conte e o pai é o primeiro-tenente Juliano da Silva.

A polícia militar divulgou uma nota sobre o acidente que levou a vida de Leonardo. Na nota, a PM lamenta profundamente a morte de Leonardo. Também diz que foi um acidente doméstico. A nota segue dizendo que a polícia se solidarizou com a dor dos companheiros de farda, e que cada um deles está em oração pela alma de Leonardo.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

O caso segue em investigação.

Não perca a nossa página no Facebook!