A paciência da diretoria do Santos com o atacante Diogo Vitor, de 23 anos, parece ter chegado ao fim. Em entrevista ao programa "Revista do Esporte”, exibido pela TV Cultura Litoral, o membro do Comitê de Gestão ao alvinegro, Matheus Rodrigues, informou que o clube rescindirá por justa causa o contrato do atleta, que se encerraria apenas em fevereiro do ano que vem.

O atacante nos últimos tempos colecionou vários atos de indisciplina, como atrasos e sumiços a treinamentos. Em 2018, foi suspenso por 18 meses devido ao uso de cocaína e havia voltado às atividades em novembro passado, no CT Rei Pelé.

Já neste ano, segundo o clube, ele deveria ter se reapresentado ao Santos B, mas apareceu com uma semana de atraso e colecionou mais faltas sem justificativa, apesar das notificações da diretoria.

Rodrigues disse que o jogador já foi notificado três vezes desde fevereiro e já encaminhou a situação para o departamento jurídico. A expectativa é que nesta semana haja um desfecho da situação. “O clube precisa tomar uma decisão e está sendo tomada essa semana”, falou.

O dirigente disse ainda que todas as chances possíveis foram dadas ao atleta e ressaltou que a profissão que Diogo Vitor exerce é preciso esta com foco e a cabeça no lugar.

“Demos todas as chances possíveis. Oportunidades, tratamentos, conversas”, disse.

O Globo Esporte tentou entrar em contato com o atleta, mas não teve resposta. Já o clube ainda não se manifestou de forma oficial sobre a questão.

Jogador ficou 18 meses suspenso

Diogo Vitor caiu no exame antidoping na partida contra o Botafogo de Ribeirão Preto, válida pelas quartas de finais do Paulistão de 2018. Ele entrou durante o jogo, tendo ficado 22 minutos em campo.

A decisão da vaga foi para os pênaltis, e ele foi um dos jogadores escolhidos para bater, tendo convertido sua cobrança.

Apesar de ter admitido o uso de cocaína, nos primeiros meses ele recusou o tratamento oferecido pelo clube, mas depois voltou atrás. No tempo em que cumpriu a punição, ele teve seu contrato suspenso, ficando sem receber salários, e não pode usufruir da estrutura do clube.

Libertadores só deve voltar em maio

A Conmebol aumentou o prazo de paralisação da Copa Libertadores da América por conta do coronavírus. De acordo com um comunicado emitido pela entidade que rege o Futebol no continente, a competição seguirá suspensa até o dia 5 de maio, o mesmo vale para a Copa Sul-Americana.

Com isso, o torneio deverá usar as datas que antes estavam reservadas para a Copa América, que foi postergada para 2021.

O comunicado pediu ainda que os clubes continuem seguindo os protocolos de prevenção para conter a pandemia do coronavírus.

Não perca a nossa página no Facebook!