Publicamente contrário às medidas de isolamento social adotadas pelos governos estaduais para o combate à proliferação do coronavírus, o presidente da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, sugeriu que os jogos finais do Campeonato Carioca de 2020 fossem disputados em Brasília. Nesta quinta-feira (30), em entrevista à versão eletrônica do jornal O Globo, o presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), Rubens Lopes, disse estar avaliando essa possibilidade. Segundo o dirigente esportivo, porém, "ainda não há nada oficial" sobre a volta da competição.

Nos bastidores, a FERJ os clubes do Rio, em especial Flamengo e Vasco, aguardam a publicação de uma portaria por parte do Ministério da Saúde e da Anvisa, algo prometido pelo presidente Bolsonaro [VIDEO].

A previsão é de ela sair até a próxima segunda-feira (4). Até lá, não há permissão sequer para os treinamentos no futebol carioca, uma vez que o Governo fluminense ampliou a quarentena até dia 11 de maio e a Prefeitura do Município do Rio de Janeiro manteve o isolamento social até dia 15.

O Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, dialoga com interlocutores dos clubes do Rio para disponibilizar o estádio Mané Garrincha. O problema maior é a necessidade de viagem de avião das delegações.

Retorno do futebol divide clubes e entidades

Um impasse atinge os bastidores quanto a um provável retorno da temporada do futebol brasileiro em 2020, mesmo durante o ápice dos casos de Coronavírus no país.

Aliado ao discurso do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, Flamengo e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) pressionam para que os jogos, paralisados desde meados de março, voltem a acontecer no território nacional ainda em maio.

Em contrapartida, Fluminense e Botafogo, junto com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e os Governos Estaduais do Rio de Janeiro e de São Paulo, preferem aguardar a palavra oficial dos órgãos de saúde para definir o fim da paralisação no esporte.

Já a posição do Vasco, último dos quatro grandes clubes do futebol carioca, não foi conhecida de forma oficial.

Segundo dados divulgados nesta quinta-feira, o Brasil atingiu 85,3 mil casos de coronavírus com 5.901 mortes. No Rio, os infectados chegam a 9.453 casos confirmados até agora com 854 mortes oficiais e outras 294 sob investigação das autoridades.

Apesar desses números, o Governador do Estado, Wilson Witzel, que, recentemente, foi acometido pelo coronavírus, descarta adotar o "lockdown", ou seja, o fechamento total de todas as atividades para se combater à proliferação da pandemia em solo fluminense.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!