Na noite da última terça-feira (24), o presidente da República Jair Bolsonaro fez um pronunciamento sobre a crise gerada pela pandemia de coronavírus. Na ocasião, Bolsonaro afirmou que a imprensa cometeu exageros sobre a doença e que todos deveriam retomar as suas vidas normalmente, visto que não havia motivo para pânico.

O pronunciamento repercutiu negativamente entre a classe política e gerou várias reações por parte de parlamentares.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, chegou até mesmo a divulgar uma nota oficial, na qual as falas de Bolsonaro foram descritas como graves. Ainda no documento, Alcolumbre afirmou que o Brasil precisava de uma liderança séria durante esse momento de crise.

Quem também acabou comentando a respeito do pronunciamento de Jair Bolsonaro foi Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados. Por meio de suas redes sociais, Maia destacou que o presidente foi equivocado em seu pronunciamento e em seus ataques à imprensa.

Além disso, o presidente da Câmara ainda pontuou que o ataque também foi direcionado aos governadores e aos especialistas em saúde, que fizeram recomendações completamente opostas as do presidente para conseguir combater a disseminação do coronavírus no Brasil.

Governadores e deputados se posicionam

Assim como Alcolumbre e Maia, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, também chegou a se posicionar contra as falas de Jair Bolsonaro.

Ao comentar a respeito do pronunciamento, Witzel afirmou que o presidente havia contrariado as determinações estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde e afirmou que o Rio de Janeiro continuará segundo essas determinações, bem como as orientações médicas recebidas para conseguir preservar as vidas das pessoas que vivem no estado.

Ainda ao fim de sua fala, Wilson Witzel se dirigiu à população carioca e pediu para que todos continuem em suas casas.

Helder Barbalho, o governador do Pará, também falou sobre o pronunciamento de Jair Bolsonaro e afirmou que procura respeitar a opinião de todas as pessoas, mas que não concorda com o posicionamento do presidente sobre a pandemia.

De acordo com Barbalho, desde o início da crise, o Governo do Pará procurou seguir todas as recomendações feitas pelos profissionais de saúde e as autoridades da área. O governador ainda afirmou que o estado também procurou ouvir os países que já enfrentaram a mesma crise para adotar uma linha de ação. Assim, o Pará estava no caminho do bom senso e do equilíbrio, o que continuará seguindo.

Dois deputados anteriormente apoiadores de Bolsonaro também se posicionaram contra a sua fala. O primeiro deles foi Alexandre Frota, que voltou a falar sobre o impeachment do presidente e afirmou que o pedido estava nas mãos de Rodrigo Maia. A segunda foi Joice Hasselann, que chegou a afirmar que Bolsonaro foi irresponsável em sua fala, além de ter sido inconsequente e insensível com a situação.

A deputada ainda afirmou que o Brasil precisa de um líder com sanidade mental.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!