O presidente do Santos, José Carlos Peres, revelou durante entrevista ao UOL que queria contratar o meia colombiano Andrés Ricaurte. O atleta é do Independente de Medellín, da Colômbia. No entanto, o clube paulista contratou o meia peruano Cueva, do Krasnodar, da Rússia, em 2019, por R$ 26 milhões.

O peruano não estava nos planos do clube, disse José Carlos Peres. Ele declarou que o Santos queria contratar o colombiano Andrés Ricaurte. Segundo o dirigente, era uma lista com cinco jogadores e o primeiro era Ricaurte, mas pediram muito dinheiro para vendê-lo, e a transação não ocorreu.

Peres optou por Cueva por causa da forma de pagamento.

Ele explicou que a diretoria decidiu ficar pelo preço mais baixo, dividido em três anos, e que valeu a pena financeiramente na ocasião.

No início de 2020, Cueva deixou o clube. Neste período não marcou gols ou deu assistências. Agora ele está Pachuca, do México, e o Krasndar briga na Justiça para receber do clube paulista o valor da contratação do meia.

Briga entre Santos e Cueva

A saída de Cueva do Santos foi complicada. O meia peruano deixou o peixe e se apresentou para o clube mexicano Pachuca no início de fevereiro, sem dar muitas justificativas. O clube paulista foi à Fifa para pedir uma indenização para amenizar a dívida que tem com Krasnodar..

Cueva, na ocasião, concedeu uma entrevista para o Ovación do Uruguai e explicou que tentou resolver a situação com Santos, no entanto, mesmo com muita vontade de jogar, o clube não inscreveu o atleta no Paulistão, e ele tinha achado estranho, visto que a intenção de Cueva para jogar no clube brasileiro era para poder ter visibilidade e estar pronto e conquistar um espaço na seleção do Peru.

Ele ainda destacou que a diretoria do Santos não cumpriu o que combinou e, como os dirigentes não estavam dando importância para o que ele sentia, ele decidiu, juntamente com seu empresário e advogado, encontrar uma maneira, e acabou saindo para o time mexicano.

Direito de imagem

Há 3 meses, o Santos acumula dívida relacionada a direito de imagem.

Com a crise financeira, a equipe paulista está reduzido o salário dos jogadores em 70%.

O pagamento que era para ter ocorrido no dia 15 de maio está em aberto, e duas folhas estão pendentes. O departamento financeiro do Santos pediu para alguns jogadores as notas fiscais de fevereiro e março e pretende diminuir as dívidas nos próximos dias.

A paralisação do Futebol brasileiro acabou prejudicando ainda mais a crise financeira do clube paulista. Menos da metade do elenco recebe pelos direitos de imagem, e esse valor corresponde a no máximo 40% do valor total dos salários. O Alvinegro costuma pagar os vencimentos normalmente e atrasar os direitos de imagem.

Entrevista de Peres

Durante a mesma entrevista dada ao canal Os Canalhas, do UOL, o presidente do Santos falou sobre diversos assuntos relacionados ao clube paulista. Entre eles a possível negociação de Lucas Veríssimo. Durante a conversa, José Carlos Peres rasgou vários elogios ao zagueiro e explicou que pretende negociar a venda de Veríssimo para o exterior.

Ele declarou que este era o momento de Veríssimo atuar em algum clube fora do Brasil, pois ele elogiou o rapaz e mencionou que ele merece esta oportunidade.

O dirigente Alvinegro informou que dois clubes chegaram a procurar o Santos para contratar Lucas, e que na ocasião a venda acabou não acontecendo. Os dois mercados que manifestaram interesse no atleta foram Rússia e Itália. Lucas Veríssimo pode ter a oportunidade agora, em virtude da janela internacional que abre em julho.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Santos
Seguir
Siga a página ESports
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!