A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou que torcedores poderiam voltar a assistir seus jogos nos estádios a partir do dia 4 de outubro, data prevista para a liberação do público.

De acordo com o anúncio, a volta será no jogo entre Flamengo e e Athletico-PR, no Maracanã.

Reação

A previsão não foi recebida com entusiasmo por parte dos clubes da Série A que disputam o Brasileirão, que reagiram contra a decisão aprovada pelo time carioca.

De acordo com o UOL Esporte, os dirigentes das maiores equipes do Brasil acreditam que ainda não é o momento de liberar o público nos estádios, e defendem a isonomia na competição.

Clubes

De todos os clubes com que o UOL entrou em contato, 17 de 20 responderam à reportagem. Fortaleza, Sport e Athletico-PR foram os únicos clubes que não responderam sobre o assunto. O Flamengo afirma ser favorável à volta dos torcedores já em outubro, e o Corinthians disse que não entrará em campo caso outro time receba público antes dos demais.

Dirigentes

Os dirigentes dos outros clubes acreditam na importância de receber uma autorização por parte de autoridades sanitárias e avaliar todas as questões relacionadas à segurança dos torcedores, assim como dos jogadores e demais profissionais.

Do ponto de vista esportivo, considerando que torcedores nos estádios podem promover um certo tipo de vantagem esportiva e competitiva, os dirigentes defendem que o público retorne apenas quando todos os clubes estiverem preparados para tal, sem favorecimento de nenhuma praça.

Mesmo que todas as praças recebam a autorização de voltar ao mesmo tempo, os dirigentes defendem ainda que um protocolo de segurança deve ser estabelecido e que regras também devem ser impostas.

Financeiro

Mesmo com o impacto financeiro no caixa de alguns clubes causado pela pandemia e a suspensão do público, os clubes ainda defendem que não é o momento ideal para esta medida.

Alguns acreditam que a liberação já poderia ocorrer, no entanto deve ser liberada a todos os clubes sem exceção e com as medidas de segurança necessárias.

Uma parcela dos dirigentes também afirmou que dificilmente a decisão do prefeito será acatada pela CBF, e que acreditam que o retorno das torcidas deverá acontecer posteriormente, em um momento mais avançado do campeonato.

Governador

Cláudio Castro (PSC), governador em exercício no estado do Rio de Janeiro, adiou a volta do público nos jogos, no entanto a decisão é momentânea e não definitiva.

Segundo o governador, uma reunião entre governo, CBF e o prefeito Marcelo Crivella será realizada na próxima semana para discutir o assunto. Até o momento, as medidas relacionadas ao combate do novo coronavírus proíbem o retorno de público até o dia 6 de outubro.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Flamengo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!