A goleada de 5 a 0 sofrida para o Corinthians na noite da última quarta-feira (13), em São Paulo, levou o Fluminense a quebrar um tabu negativo na sua história. Há 15 anos o Tricolor das Laranjeiras não perdia por cinco gols de diferença em uma partida oficial.

A última vez que a agremiação carioca sofreu uma derrota desse tipo aconteceu no segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2005. Na ocasião, o time, então dirigido pelo técnico Abel Braga, perdeu de 6 a 1 para o Paraná. O lateral-direito Gabriel, filho de Vladimir, ex-jogador de Corinthians, Santos e seleção brasileira, cobrando pênalti, marcou o gol do Flu naquele vexame.

Durante esses quase 20 anos, o Fluminense chegou a sofrer derrotas por cinco gols, mas, em todas elas, balançou as redes adversárias por, pelo menos, uma vez, casos dos 5 a 1 para o Fortaleza, na Arena Castelão, também pelo Brasileiro de 2005, 5 a 3 para o Flamengo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro de 2009, 5 a 1 para a LDU, em Quito, no jogo de ida da final da Copa Sul-Americana e 5 a 2 para o Atlético-MG, em Belo Horizonte, pelo Brasileirão de 2018.

Revoltado, Danilo Barcelos pede reação imediata

Mesmo tendo uma atuação apática, Danilo Barcelos foi o único jogador a conceder entrevista ainda no gramado da Arena Neo Química após o vexame. Segundo o lateral-esquerdo, o momento é de ter "vergonha na cara" e lembrou que a reação precisa acontecer já no compromisso do próximo sábado, às 19h (de Brasília), no Maracanã, diante do Sport.

"Noite atípica, tem nem o que falar agora, temos de ter vergonha na cara, pedir desculpa ao torcedor pela noite desastrosa e levantar a cabeça para sábado conseguir a vitória", disse Danilo.

Em entrevista coletiva virtual, o auxiliar-técnico Aílton Ferraz, que, mais uma vez dirigiu a equipe (o técnico Marcão segue cumprindo quarentena por conta da Covid-19), foi questionado sobre o porquê de não ter feito qualquer mudança na equipe.

De acordo com o comandante, esse mesmo grupo, uma semana antes, havia vencido o Flamengo e, por conta disso, não acreditava ter a necessidade de realizar qualquer tipo de alteração.

"Acho que não se deveria mexer em um time que vinha de uma vitória sobre o Flamengo. É muito cedo para achar que está tudo ruim. Sabemos que pecamos muito hoje, especialmente nas transições.

Pegamos uma equipe qualificada, e sem conseguir fechar os espaços, sofremos. Tenho certeza que vamos ajustar o que precisa", explicou Aílton.

Apesar do revés sofrido para o Corinthians, o Fluminense segue ocupando o sétimo lugar na classificação do Brasileiro com 43 pontos e na luta direta por uma vaga na próxima edição da Taça Libertadores da América.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Fluminense
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!