Neste domingo (17), o São Paulo Futebol Clube empatou em 1 a 1 com o Athletico Paranaense, na Arena da Baixada, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, e se manteve na liderança da competição, com 57 pontos conquistados, seguido bem de perto pelo Internacional, com 56.

Precisando vencer para continuar na frente dos concorrentes ao título, o máximo que o Clube da Fé conseguiu foi a igualdade no placar, o gol tomado pelos comandados do técnico Fernando Diniz, aos 38 minutos do primeiro tempo, ocorreu da mesma forma que em outros duelos, outra falha na saída de bola, desta vez, Gabriel Sara tentou sair tocando no meio-campo e acertou Fernando Canesin, rapidamente Nikão dominou a sobra e acionou Carlos Alberto, o camisa 96 cruzou para Renato Kayzer fazer o gol, livre, dentro da pequena área, 1 a 0; houve muita vibração do centroavante dos donos da casa pelo Furacão ter largado na frente.

A etapa inicial foi dominada pelo Rubro-Negro, pois os paulistas encontravam dificuldade na criação e pouco agrediam no setor ofensivo, entretanto, após o intervalo e a substituição de Bruno Alves por Vitor Bueno, a postura do time do Morumbi mudou e Tchê Tchê balançou as redes, em lindo chute, aos 15’, 1 a 1.

Respondendo os visitantes, o Athletico quase voltou a ficar à frente do marcador, em perigosa finalização de Christian de longa distância, a bola quicou no gramado e deu trabalho para o goleiro Tiago Volpi, que espalmou para fora, praticando grande defesa, aos 21’.

Na sequência do lance Nikão cobrou escanteio, Volpi saiu mal de sua meta, sem achar nada, e Renato Kayzer desperdiçou a oportunidade errando o alvo.

Quem podia se consagrar nos instantes derradeiros do confronto, era Gonzalo Carneiro, o uruguaio de 25 anos, com 1,94 m de altura, havia ocupado a vaga de Gabriel Sara, aos 36’, do segundo tempo.

Ele recebeu um cruzamento na medida, do lateral-esquerdo Reinaldo, aos 49’, cabeceou buscando o canto, porém não obteve sucesso.

No minuto seguinte, o árbitro goiano, Wilton Pereira Sampaio, encerrou o encontro.

Oscilando na fase decisiva do campeonato, o Tricolor preocupa seu torcedor, já são quatro jogos sem vencer: Grêmio, Red Bull Bragantino, Santos e Athletico.

Além disso, há um agravante nessa má fase são-paulina, o excelente rendimento recente do Colorado.

Os gaúchos dirigidos por Abel Braga, ganharam seus últimos seis compromissos: Botafogo, Palmeiras, Bahia, Ceará, Goiás e Fortaleza. Por isso, eles vêm à capital paulista embalados para a disputa direta pelo troféu, que não levantam desde 1979.

Do lado oposto o São Paulo tem a lembrança da conquista de 2008, sob o comando de Muricy Ramalho, de lá para cá permanece em jejum no nacional.

Escalações

  • Athletico Paranaense- Santos, Jonathan, Pedro Henrique, Thiago Heleno, Abner, Richard, Christian, Carlos, Fernando Canesin, Nikão e Renato Kayzer. Técnico: Paulo Autuori.
  • São Paulo- Tiago Volpi, Juanfran, Arboleda, Bruno Alves, Reinaldo, Luan, Tchê Tchê, Gabriel Sara, Igor Gomes, Daniel Alves e Brenner. Técnico: Fernando Diniz.

Próximos jogos

  • Bahia e Athletico, quarta-feira (20), às 18 horas (de Brasília), na Itaipava Arena Fonte Nova.
  • São Paulo e Internacional, quarta-feira (20), às 21h30 (de Brasília), no Estádio do Morumbi (disputa pela liderança do Brasileirão).

Entrevista Coletiva Fernando Diniz

Questionado sobre o empate com o Furacão, se pode ser considerado bom resultado ou tropeço, e se Luciano terá condições de atuar contra o Internacional de Porto Alegre.

“O Luciano, a gente está tentando fazer com que ele jogue, cada jogo que nos preparamos para realizar, tentamos contar com ele, não conseguimos ainda, mas na quarta-feira é uma possibilidade. Não sabemos, mas vamos trabalhar em cima disso nos próximos dias”, comentou Diniz.

Depois, Diniz falou sobre o empate fora de casa. Quanto ao ponto aqui, não temos que comemorar, e sim vitória, porém temos que considerar que o Atlético vive o melhor momento dele dentro da competição, jogar aqui por conta de várias condições que representam competir em Curitiba, nesse campo: a dificuldade do gramado muito diferente, time bem treinado, acostumado a trabalhar aqui, e que nas últimas cinco partidas foi tomar gol hoje, então esperávamos dificuldades, tentamos de tudo para poder sair com a vitória, saímos atrás, soubemos empatar e buscamos ganhar até o último minuto, o time me mostrou evolução do que vinha fazendo; é seguir evoluindo, para conseguir os pontos que necessitamos e dar alegria ao torcedor no final do campeonato”, disse.

Sobre a suspensão de Arboleda para o duelo com o Colorado, devido ao recebimento do terceiro cartão amarelo pelo equatoriano, e a condição clínica de Juanfran, que deixou o gramado sentindo dores. “A gente tem jogadores para substituir o Arboleda, isso faz parte, tomar o terceiro cartão amarelo, vamos saber escolher a melhor opção para enfrentar o Inter, e o Juanfran, aparentemente, não é nada grave”, explicou o comandante.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Brasileirão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!