A Sociedade Esportiva Palmeiras foi derrotada pelo Tigres (México), por 1 a 0, no Estádio Education City, em Doha, capital do Qatar, neste domingo (7), e está eliminada da decisão do Campeonato Mundial de Clubes.

Mesmo com a grande motivação da delegação palmeirense para alcançar o título, o desempenho foi insuficiente, principalmente no meio de campo, o que impossibilitou a construção de jogadas bem trabalhadas pelos brasileiros.

Quem teve as principais chances de gol do primeiro tempo foi o time montado pelo técnico Ricardo Ferretti: aos 3 minutos, o arqueiro alviverde, Weverton, teve que efetuar uma ótima defesa, ao espalmar bola cabeceada por Carlos Gonzáles Espínola.

Em resposta, aos 17’, o velocista palestrino, Roni, encontro espaço de longe e arriscou, Nahuel Guzmán, afastou com dificuldade, na sequência a jogada foi paralisada, pelo impedimento de Gabriel Menino, que havia desperdiçado o rebote.

Houve mais dois lances perigosos a favor do clube mexicano, ambos com o francês André-Pierre Gignac: aos 33’, o atacante de 35 anos, chutou colocado buscando acertar o ângulo e novamente Weverton impediu a modificação no resultado, de maneira brilhante, direcionando a finalização para linha de fundo.

Depois o goleiro do Verdão impediu outra cabeçada do Tigres, Giginac recebeu cruzamento de Luis Alfonso Rodríguez e testou forte em direção ao chão, o defensor rebateu, afastando a ameaça da sua meta, aos 36’.

Na segunda etapa da partida, a insistência do rival palmeirense foi recompensada quando o zagueiro Luan puxou Gonzáles dentro da área, gerando a penalidade marcada pelo árbitro holandês, Danny Makkelie.

Gignac bateu no canto e correu para o abraço dos companheiros, aos 8’, desta vez, Weverton não pôde interceptar o arremate, 1 a 0.

Após a entrada de Willian Bigode na vaga de Gabriel Menino, aos 16’, a presença dos comandados do treinador Abel Ferreria, no setor ofensivo, foi se tornando mais perigosa, tanto que o Palmeiras quase chegou ao empate em cruzamento de Willian buscando Luiz Adriano, o centroavante furou, a bola tocou em Rodríguez e passou perto da trave, aos 31’.

Perto do término do espetáculo o uruguaio Matías Viña, tentou levar o duelo para prorrogação, finalizando de fora da área, mas, por infelicidade errou, aos 50’, e a eliminação na semifinal foi inevitável.

Escalações

  • Palmeiras: Weverton, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez, Matíaz Viña, Danilo, Zé Rafael, Raphael Veiga, Gabriel Menino, Roni e Luiz Adriano.
  • Tigres: Nahuel Guzmán, Luis Alfonso Rodríguez, Diego Reyes, Carlos Salcedo, Jesús Dueñas, Rafael Carioca, Guido Pizarro, Javier Aquino, Quiñonez, Carlos González Espínola e Gignac.

Próximos jogos do Campeonato Mundial

  • Semifinal- Bayern de Munique e Al Ahly, nessa segunda-feira (8), às 15 horas (horário de Brasília), na cidade de Al Rayyan.
  • Disputa do terceiro lugar- Quem perder a semifinal no confronto entre alemães e egípcios enfrentará o Palmeiras, quinta-feira (11), às 12h (de Brasília), no Estádio Education City.
  • Final- O Tigres aguarda o vencedor da semifinal para decidir o título de melhor clube do mundo, na quinta-feira (11), às 15h (de Brasília), também no Education City.

Entrevista coletiva do técnico Abel Ferreira

Ao comentar o desenrolar do jogo o comandante palmeirense, Abel Ferreira, falou sobre os momentos vividos pelas equipes na partida:

“Na primeira parte o nosso adversário foi ligeiramente superior, na segunda, a experiência deles na forma que conseguiram o pênalti; não há um agarrão claro, há toque, sim, mas isso não é basquetebol, e a partir daí eles se defenderam, nós criamos ainda uma oportunidade flagrante num cruzamento do William com o Luiz não acertando a bola, mas diria sem problema nenhum, que no geral, o adversário foi ligeiramente melhor, e o jogo é definido no detalhe, na experiência de um atacante.

Em momento nenhum vejo meu jogador agarrar o oponente, mas o árbitro não teve dúvidas e marcou, ficando esta meia final definida por um detalhe, que foi a penalidade.”

Posteriormente o treinador português ressaltou o que vê sobre a evolução de seu time: “O que sei dizer é que nós temos uma equipe com muita margem para crescer, sei te dizer que nesse tipo de jogos nós ganhamos experiência e aprendizagem, sei te dizer que nesse tipo de jogos temos que estar no nosso máximo de concentração, e no nosso máximo na performance, sabemos o que temos a melhorar em termos de rendimento individual, chegamos aqui por mérito próprio, temos boa mescla de gente jovem e gente experiente, como disse: mas do que estar aqui e arrumar desculpas, é assumir que o Tigres, no geral, foi ligeiramente melhor em um jogo decidido no detalhe”.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Palmeiras
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!