Um homem foi preso pela Polícia acusado de ter estuprado o cadáver de uma mulher dentro de um hospital, após ela ter morrido por problemas respiratórios. O acusado de ter cometido o crime foi identificado como Grover Macuchapi, de 27 anos, que trabalhava como enfermeiro no local. O caso foi registrado na capital boliviana, La Paz. De acordo com a imprensa local, o esposo da vítima flagrou o homem abusando do cadáver e chamou a polícia. A vítima, que não teve o seu nome revelado, tinha 28 anos.

Segundo informações do porta-voz da polícia, Douglas Uzquiano, o incidente acontece na noite de segunda-feira (16), cerca de uma hora depois da mulher ter morrido no Hospital de Clínicas de La Paz e transferida para o necrotério da unidade hospitalar.

Publicidade

"Parentes da mulher morta tinham ido ao hospital para pagar uma dívida que tinham pelo tratamento médico que recebeu. O marido foi ao necrotério e viu o enfermeiro tendo relações sexuais com sua falecida esposa", disse Douglas Uzquiano.

O marido disse a que flagrou o homem com as calças abaixadas e fazendo movimentos em cima do corpo da esposa, quando deu um soco nele. O acusado justificou que estava em transe, fora de si, e só lembra quando foi golpeado pelo esposo da vítima. "Algo aconteceu. Foi como um sonho.

A próxima coisa que eu lembro estava sentindo um golpe por trás quando o marido da mulher me atingiu”, disse o acusado. Os promotores relataram que Macuchapi não poderia ser acusado de necrofilia porque a ofensa não está prevista na legislação da Bolívia.

Outro caso semelhante acontece na terça-feira (17), na cidade de Oran, Noroeste da Argentina. Segundo informações do portal de notícias do jornal britânico Daily Mail, um homem foi preso pela polícia dentro do necrotério do hospital San Vicente de Paul.

Publicidade

O acusado tem 22 anos e, ao ser preso pela polícia, disse que estava com um desejo insaciável de ter relações sexuais com o corpo da mulher no hospital. Funcionários do hospital acionaram a polícia assim que o homem foi visto tirando um corpo de um dos freezers e cometendo o crime.

De acordo com a imprensa argentina, quando a polícia chegou ao local, o homem ainda estava realizando a fantasia doentia. Ele foi preso em flagrante. A direção do hospital informou que o cadáver era de uma mulher de 41 anos, que havia morrido de morte súbita em uma aldeia a cerca de 70 km de Oran, e estava no hospital para autópsia.

De acordo com a polícia, o homem aproveitou para entrar no hospital no momento que o guarda de segurança estava ocupado atendendo um chamado do hospital. A polícia informou com o suspeito foi encontrado dinheiro e uma mochila igual as que os pacientes carregam quando recebem alta do hospital. O caso continua sendo investigado.