Uma menina de 6 anos de idade foi abusada sexualmente [VIDEO] e depois brutalmente assassinada no sábado (9), na cidade suburbana de Uklana, em Haryana de Hisar, na Índia. A menina, filha de um casal de Dalit, morava em uma estrutura de tenda à beira da estrada, com sua família. A vítima tinha dois irmãos, incluindo uma irmã. O corpo da vítima foi encontrado próximo do lugar onde sua família estava hospedada, em uma barraca perto de um posto telefônico local.

Ela tinha ido dormir com sua mãe e dois irmãos na tenda por volta das 9 da noite, disse a mãe da vítima à Polícia. No dia do crime, o pai da jovem estava ausente. De acordo com a polícia, o assassino não identificado inseriu uma vara de madeira de aproximadamente 24 centímetros em seu corpo, que era claramente visível quando o corpo da garotinha foi encontrado.

O corpo da vítima apresentava vários hematomas por toda parte e muito sangue espalhado pelo chão. Conforme relatos da polícia de Hisar, por volta das 9 horas de sábado, a delegacia de polícia local recebeu uma chamada sobre a descoberta de um corpo maltratado de uma menina.

Médico conta detalhes do crime

Logo, a polícia chegou ao local, informada junto com a perícia para coletar provas sobre o crime. Logo, a mãe da vítima, juntamente com alguns moradores locais, chegou à área, e identificou o corpo como sendo de sua filha e forneceu detalhes à polícia. De acordo com o doutor Reetu Gupta, que fez o primeiro levantamento no corpo da vítima, disse que a vítima morreu devido às lesões internas sofridas pela vara introduzida em seu corpo. "A vítima morreu devido à tortura perpetrada pela inserção de madeira em seu corpo pelo acusado.

Também encontramos lesões dentro do intestino e do útero. [VIDEO] A madeira foi inserida com uma força que não só causou lesões graves dentro do útero, mas também no intestino", disse Reetu Gupta.

Segundo a imprensa local, havia muito sangue embaixo da cabeça da vítima. Porém, as causas exatas da morte e outros detalhes serão determinados apenas após o relatório da autópsia do conselho médico. Os aldeões locais fizeram um protestando contra o ato horrível e estão exigindo ação imediata da polícia para prender o acusado. A polícia informou que está trabalhando em diferentes teorias neste caso para encontrar o suspeito [VIDEO].

Acrescentando que uma equipe de investigação especial chefiada por um oficial de alto nível foi colocada para investigar o caso. A família também se recusou a cremar o corpo até que o acusado seja preso. A polícia registrou um caso de sequestro, estupro e assassinato contra um suspeito desconhecido que está foragido.